Outro álbum de Claude Leveillee

dezembro 5, 2022

Mais uma das antigas gravações do grande cantor e compositor canadense.

Claude Leveillee

dezembro 3, 2022

Recuperei uma velha memória musical, graças fiapos de lembrança e ajuda do Google. Os fiapos de lembrança eram parte da letra que dizia “je veux ceinturer madame la Terre…”. Eu não sabia se era isso mesmo, pois meu francês não é lá estas coisas. Mas, estava certo. Minha lembrança se deve ao que eu ouvia na sala de música no seminário dos Sionistas do Ipiranga em 1967. Os padres de lá tinham laços com o Canadá, mais especificamente com o Quebec. Entre estes laços estava um álbum de Claude Leveillee.

Recuperei minha lembrança e posso, de novo, ouvir o dito álbum. Ele por ser encontrado no Youtube.

Publicidade

Roteiro de apresentação: oficinas e docência

novembro 24, 2022

https://show.zohopublic.com/publish/3rssq0e0a0c82f7074e1c8a13203374d0ed42

A tecnologia educacional avançou?

novembro 10, 2022

Na foto aparecem velhos participantes de uma associação de tecnologia educacional, inaugurada em 1982 e sediada em San Diego, CA. Esses educadores agitaram muito o uso de computadores em educação, na secretaria de educação do condado, na San Diego State University. Meu professor de Computer Education, Al Rogers, foi um desses agitadores. Outro foi meu velho amigo Bernie Dodge. Em 82 eu estava no mestrado de tecnologia educacional da SDSU e pude acompanhar de perto esses lustres educadores.

Nestes quarenta anos houve avanço significativo do uso de computadores em educação? Parece que não. Houve mudanças de ênfase, mas no passado houve soluções, hoje abandonadas, que prometiam mudanças significativas em educação. O que foi criado nos últimos anos não tem o mesmo apelo do que havia np passado.

A foto que mostro aqui apareceu no Facebook do Bernie com o seguinte post:

Great conversation at the monthly gathering of SDCUE pioneers. Computers and teaching were very different in 1982 when we all first met. Figuring out how to make a modem work was much more fun than just plugging in your Chromebook.

E os comentários de alguns dos velhos educadores que mencionei foram os que seguem:

Inteligência das mão

novembro 9, 2022

Frank R. Wilson, em The Hand: How its use shapes the brain, language, and human culture, tem um capítulo dedicado aos mestres de teatros de marionetes. Os bonecos que se movimentam magicamente ilustram a inteligência das mãos. Um pouco do que Wilson examina em tal capítulo pode ser visto num vídeo que acabo de encontrar. Em post futuro vou comentar o que diz Wilson e o que é mostrado no vídeo. Por agora fico apenas com a indicação do vídeo.

Blogs sobrevivem

novembro 7, 2022

Já comentei aqui a possível morte dos blogs. Comentei também, anos atrás, que havia um imenso cemitério de blogs, abandonados por seus autores mas ainda encontráveis na web. Para considerar a questão, convém dar uma olhada numa matéria cujo título é Why We Should Start a Blog.

Microconto

outubro 18, 2022

A queda de energia aconteceu num momento inapropriado. O vibrador estava chegando ao orgasmo.

Fim do encantamento

setembro 4, 2022

Aula X recreio

setembro 4, 2022

Beleza que destrói o planeta

setembro 2, 2022

Designer são convidados a conceber coisas belas. E eles fazem isso. Basta ver, por exemplo, um produto da Apple. Basta lembrar famosos versos de Vinicius de Moraes. Tudo parece que vai bem, mas não vai. Beleza está destruindo o planeta. É isso que está acontecendo na produção de aparelhos eletrônicos, principalmente os celulares. Eles são feitos com materiais cuja mineração compromete a Natureza. E mais, a acelerada obsolescência dos aparelhinhos gera montanhas de lixo eletrônico.

Você pode pensar que o que escrevi acima é observação de um sisudo e mal humorado filósofo. Não é. Tais ideias foram apresentadas pelo cientista de TI que já trabalhou na Apple e na HP, Donald Norman.

Norman observa que as coisas podem seguir outro caminho. E uma das chaves para isso é o design que leva em consideração o meio ambiente. Isso evitaria, por exemplo, a devastação de grandes áreas em busca de lítio. Isso evitaria a acelerada obsolescência, quase sempre artificial, dos aparelhinhos. A mudança não será fácil, pois designers conscenciosos contrariam os interesses imediatos do Capital. Enquanto isso, nos iludimos com ideias de que é preciso trocar o celular em prazos cada vez mais curtos.

Paro por aqui e sugiro ao leitor que veja o vídeo que segue.