Archive for fevereiro \27\UTC 2007

Introdução aos blogs em educação

fevereiro 27, 2007

Em 2004, produzi um documento indicativo para um projeto de uso de blogs em cursos do Senac São Paulo. Creio que a introdução do citado documento ainda tem alguma atualidade. Por isso reproduzo-a aqui como início de conversa sobre uso da nossa ferramenta em ambientes educacionais.

O blog é um ambiente dentro do qual os interessados podem publicar diários na Web. A palavra é derivada do inglês log (registro diário da velocidade e progresso de um navio…, qualquer registro de progresso ou ocorrência, numa viagem ou num experimento…, segundo o Webster’s NewWorld Dictionary). A junção web+log acabou entrando no vocabulário da informática como blog.

Uma das características dos blogs é a facilidade que oferecem para publicar registros em formato de diário na Web. Depois de se cadastrar num fornecedor de blogs, o que se exige do interessado é basicamente algum conhecimento de digitação. Certas particularidades como as de colocar figuras ou links nas mensagens são muito simples e intuitivas. Editar blogs com layout profissional ainda exige algum conhecimento de HTML, mas as novas soluções facilitam, cada vez mais, o trabalho de pessoas que não sabem e nem querem programar.

A natureza de diário dos blogs conquistou adolescentes que gostam de registrar ocorrências e pensamentos do seu cotidiano. Por essa razão, muitas pessoas pensam que a ferramenta em foco é coisa para gente muito jovem. Mas há blogs publicados por autores de todas as idades e com interesses muito diversos. Escritores têm blogs para tornar públicas reflexões sobre alguma de suas obras. Professores universitários editam blogs para narrar periodicamente suas pesquisas, desenvolvimento de programas, observações pessoais sobre avanços em suas áreas de conhecimento. Profissionais de todas as áreas publicam blogs para divulgar o que pensam e fazem. Internautas de todos os tipos possuem blogs para falar de seus hobbies ou vida pessoal. Revistas publicam no formato de blogs comentários sobre suas matérias. O uso da mencionada ferramenta ganhou uma grande diversidade a partir da criatividade de autores que a adotaram para publicar seus textos na rede mundial de computadores.

Educadores que utilizam computadores no seu cotidiano perceberam o potencial dos blogs como veículos de educação. A esse respeito, convém ver por exemplo, as reflexões de David Carraher , pesquisador americano que viveu muitos anos no Brasil e é, entre outras coisas, o criador do Sherlock (software publicado pela Editora Senac sp) . Em um de seus blogs, o professor Carraher comenta:

Os blogs dos alunos podem ajudá-los a verificar o desenvolvimento de seu pensamento no tempo, a levantar questões, a receber comentários de outros. Imagine um estudante de ciências expressando como ele entendeu inicialmente calor e temperatura, como um comentário específico ou uma descoberta pessoal fez com que ele reconsiderasse suas idéias. Este estudante pode ainda linkar suas observações com websites que foram boas ajudas para ele, pode linkar suas reflexões com pontos de vistas expressos por outros estudantes e que o ajudaram a clarificar suas idéias.

Outro educador conhecido que trabalha com blogs é o Professor Bernie Dodge

Dodge está incentivando, entre seus alunos de um curso de formação de professores, o uso de blogs como instrumentos de reflexão sobre a experiência de estágio.

Ao introduzir o uso de blogs em seus programas de ensino, Dodge comenta:

Conseguir que os alunos de qualquer idade escrevam é sempre um desafio. Nos últimos anos, porém, apareceu um novo veículo de auto-expressão que fez com que crianças e adultos começassem a escrever profusamente e a ler ansiosamente o trabalho (blogs) de outros. Os blogs evoluíram a partir de um gênero mais antigo, o diário pessoal. Inserir diários pessoais na Web, e torná-los públicos e acessíveis criou algo qualitativamente diferente.

Apesar de não existir ainda um acervo respeitável de experiências sobre usos educacionais de blogs, a alternativa de trabalho em perspectiva parece muito promissora. Ela pode, entre outras coisas, permitir que as organizações educacionais consigam:

Incentivar efetivamente competências de colocar por escrito pensamentos e idéias.

Oferecer oportunidades para que os alunos desenvolvam competências de metacognição (que aprendam a pensar sobre o seu próprio pensamento).

Registrar de modo espontâneo e autêntico o desenvolvimento sócio-cognitivo dos aprendentes.

Formas profissionais reflexivos.

Abrir espaço para um exercício do pensamento que resulte em produções que possam ser compartilhadas por todos os interessados.

Avaliar de modo mais direto a evolução cognitiva de seus alunos.

Incentivar a formação de comunidades virtuais de aprendizagem.

Fazer uso de Novas Tecnologias de Informação e Comunicação de um modo bastante simples e intuitivo.

Oferecer para seus alunos oportunida de serem “autores”.

Anúncios

Um começo

fevereiro 26, 2007

Estou a investigar novidades blogueiras para negociar estudos e usos de diários eletrônicos com meus alunos do 4apgn. Sou usuário do Blogger, mas uma comparação entre os diversos softwares para a produção de blogs me deixou curioso quanto à usabilidade do WordPress. Para entender e aprender, resolvi criar este novo blog. Se tudo andar bem, vou usá-lo como plataforma de diálogo com meus alunos. A ver, como dizem os castelhanos.

Hello world!

fevereiro 26, 2007

Welcome to WordPress.com. This is your first post. Edit or delete it and start blogging!