049. Desafio Luteria

Reproduzo aqui minha proposta inicial para a produção do Desafio Luteria, quadro que integrou Caminhos da Escola, série da TV Escola do MEC. A proposta, utilizada na criação de um porgrama para a TV, pode ser aproveitada também para a criação de uma ou mais WebQuests. O Desafio tem cara daquilo que chamamos de tarefa autêntica em WebQuest. Na vida real, lutiers – fabricantes de intrumentos musicais – precisam produzir. E, para produzir, precisam ter uma base sólida de conhecimentos no campo da música, da matemática, da física, da biologia e da engenharia de materiais. Embora eu não goste do termo, podemos dizer que esse é um tratamento verdadeiramente interdisciplinar. Me agradaria muito que alguém se aventurasse a fazer uma WebQuest a partir dessa criação cujo objetivo inicial foi indicar caminhos para a produção de um programa de televisão.

Desafio Luteria

 

Jarbas Novelino Barato

17/12/2009

 

Começo com uma explicação que pode ser útil para a produção e para a escola realizadora. Este desafio propõe que os alunos produzam um instrumento musical. Tal produção vai exigir atividades de oficina para cortar metais, cortar madeira, colar materiais etc. [essas atividades dependerão muito de escolha dos alunos], mas certamente será preciso contar com uma boa oficina e com ferramentas para cumprir a missão proposta pelo desafio.

Outra necessidade: matéria prima. Metais são boas fontes de produção de som. Para facilitar a vida dos alunos será preciso disponibilizar metais (matéria prima) em barras, cordas e/ou canos que possam ser utilizados nos experimentos que os alunos deverão fazer para construir um instrumento musical.

O processo de construção de um instrumento musical será o centro das atenções neste desafio. Mas é preciso ter em mente que a produção do instrumento precisa de uma base científica. Ou seja, antes e durante a produção do instrumento, os alunos precisarão investigar e estudar tópicos de matemática, física e biologia relacionados com som e música.

O material de estudo necessário para trabalhar este desafio deve ser selecionado pelos professores da escola realizadora. Falar nisso, a escola realizadora deverá formar uma equipe de professores constituída por músico, físico, matemático e biólogo. Música e instrumentos musicais tem tudo a ver com as áreas de saber desses profissionais. Além disso, convém que um técnico ou professor que dê apoio aos alunos nas atividades de oficina.

Volto à questão de materiais de estudo. As relações entre música, matemática, física e biologia merecem destaque em diversas páginas Web. Há até vídeos de Walt Disney sobre música e matemática, disponíveis no Youtube. Pesquisar e selecionar tais recursos são tarefas da equipe de professores da escola realizadora. Mas, para mostrar a riqueza de informações existente na Internet, dou aqui alguns exemplos

 

Música, matemática e Pitágoras:

Música e matemática

Musica e física

Música, som, ouvido

Não tenho a intenção de definir as melhores fontes para as investigações que os alunos deverão fazer. Apenas exemplifiquei a riqueza de fontes que podem ser encontradas na Internet. Os professores da escola realizadora deverão selecionar fontes de informação e ajudar os alunos a se organizarem para estudar os aspectos que serão importantes na realização do desafio. Além da Internet, é bom verificar fontes informativas em livros e em vídeos.

A proposta aqui é a de estudar a relação entre música e as ciências (matemática, física e biologia) e, a partir do estudo, construir um instrumento musical. Os alunos, portanto, deverão “inventar!” o instrumento e confeccioná-lo de acordo com suas investigações e escolhas. Não se trata de construir um dado instrumento. Essa última possibilidade já gerou algumas experiências educacionais interessantes, mas concentradas num processo de produção previamente definido. Não é o nosso caso. Mesmo assim, para conhecimento da escola realizadora e da produção, indico uma das experiências que encontrei na Web:

Este desafio sugere, entre outros, estudos sobre conteúdos tais como:

  • Aspectos matemáticos da música
  • Propagação do som
  • Ondas sonoras
  • Frequências das ondas sonoras
  • Anatomia do ouvido
  • Diferença entre música e ruído

Faço aqui uma lista tentativa de quem não domina as disciplinas que deverão estar presentes na experiência. Por isso, sugiro que a equipe de professores da escola realizadora faça uma lista dos conteúdos que gostaria de ver explorados. Essa providência irá orientar a escolha de fontes de informação e o apoio que os docentes deverão dar aos alunos.

É conveniente desenvolver este desafio em localidade que tenha luteria (oficina de produção de instrumentos musicais. A mais famosa luteria de Brasil fica na cidade de Tatuí, SP (http://www.conservatoriodetatui.org.br/). Outra localidade que tem oficina de luteria é a cidade de Manaus (http://www.oela.org.br/). Não encontrei referência em outras localidades, mas creio que há mais oficinas de luteria no país.

Passo agora para as sugestões de produção e desenvolvimento educacional do desafio.

Parte 1: Introdução

Como venho insistindo em outros desafios, o começo da história não é a informação de que a escola ou a equipe de alunos deverá realizar uma dada tarefa. Antes disso é preciso passar para os alunos (e para os expectadores do programa) o que está em jogo. É preciso situar o desafio dentro de um contexto significativo. Vamos, portanto, a sugestões de como construir um contexto capaz de dar sentido ao desafio.

O ponto de partida para a conversa deve ser um instrumento musical. Há dois instrumentos mais adequados para nossos objetivos: piano de cauda ou violão. Sei que talvez seja difícil trabalhar com o primeiro. Mas, se pintar possibilidade, seria muito bom.

Para introduzir o instrumento escolhido, será preciso contar com um musico. Vou exemplificar minha proposta pensando num violonista. Este último é mostrado executando pequeno trecho de uma peça musical (mais ou menos dois minutos). [Os alunos que vão participar do desafio estarão presentes, ouvindo e observando o desempenho do músico]. Movimentos de câmera deverão destacar a posição dos dedos do músico na medida em que a música vai sendo executada.

Logo após a execução do trecho musical, pode-se conversar brevemente com o músico. A pergunta fundamental no caso é a relacionada com as diferenças de sons que são obtidos com a mudança dos dedos sobre as cordas do instrumento.

No passo seguinte, o âncora do programa pode fazer perguntas sobre produção do som no violão para os alunos. Por exemplo: Se pressionarmos um dedo sobre a metade de uma das cordas do instrumento, o som produzido será mais alto ou mais baixo [mais grave ou mais agudo]? Os alunos serão convidados a explicar suas respostas. Depois das explicações dos alunos, o músico mostrará o que acontece. Essa cena poderá continuar por algum tempo, com explorações de diferentes posições dos dedos sobre as cordas e as diferenças sonoras obtidas.

Se possível, o ambiente de apresentação poderá ter outros instrumentos disponíveis: mais instrumentos de corda e alguns instrumentos de sopro. Tais instrumentos poderão ser explorados em termos de produção de som. Pode-se, por exemplo, instigar curiosidade perguntando-se aos alunos que instrumento produzirá um som mais agudo, um trombone ou uma flauta transversal? Com isso a conversa pode abordar diferenças entre os instrumentos e deixar no ar o que pode explicar cientificamente tais diferenças.

[Esboço de modo mais breve uma apresentação com piano de cauda. A tampa do piano deverá estar aberta. Um pianista executará trecho de uma obra musical. Movimentos de câmera mostrarão as posições de mãos e dedos do músico. Mostrarão também que cordas do piano estão sendo marteladas durante a execução. Se possível, os movimentos poderão mostrar relação entre nota mais alta ou mais baixa e comprimento da corta que está sendo martelada para produzir o som. Após a execução, o esquema de conversa poderá ser parecido com o que sugeri para o violão/violonista. Gosto da idéia do piano de cauda porque o mesmo pode dar uma ar mais espetaculoso à abertura do programa.]

Depois da criação de um contexto sobre o tema, o âncora deverá informar aos alunos que as explicações os sons produzidos pelos instrumentos tem a ver com algumas ciência que são estudadas na escola. Ou seja, a produção de música tem muito a ver com matemática, física e biologia.[ Não se trata aqui de explicar, mas apenas de enunciar as relações da música com as ciências. Essas relações deverão ser descobertas pelos alunos em processos de estudo].

Nesta altura, tudo deverá estar pronto para a apresentação do desafio. Minha sugestão é a que segue.

Vocês são um grupo de inventores. Já criaram algumas coisas interessantes, com base em conhecimentos científicos e em experimentos em laboratórios e oficinas. E a questão da música acaba de entrar em suas vidas. Um conjunto musical famoso quer surpreender seus fãs. Para isso, a banda planeja utilizar no próximo show um novo instrumento, algo que ninguém ainda viu e ouviu. E advinhem? Vocês foram contratados para criar tal instrumento. Mais especificamente, a banda fez a vocês o seguinte pedido:

Queremos um novo instrumento que produza um som legal. Deve ser algo que utilize metais. Queremos um instrumento capaz de produzir notas musicais em duas oitavas. [Se as dificuldades de produção forem muitas, até podemos aceitar instrumento que produza apenas para uma oitava]. É claro que esperamos algo com muita afinação. Esperamos também que, junto com o instrumento, vocês nos forneçam uma página(uma página mesmo, não queremos nada muito longo) com explicações matemáticas, físicas e biológicas que fundamentaram as decisões de vocês na construção do instrumento. Queremos impressionar nosso público com tais explicações…

O segmento poderá terminar com o violonista executando mais um trecho da peça com a qual o tema foi introduzido. Ou com os alunos tentando produzir sons nos diversos instrumentos que estão no local.

Parte 2: Processo

No segundo segmento do programa, o foco deverá ser o processo. E o processo compreenderá duas partes: estudo e produção do instrumento.

Tudo pode começar com os alunos verificando quais os recursos que estão à sua disposição: laboratório de informática, biblioteca, oficina. Outra possibilidade é começar com um encontro dos alunos com a equipe de professores que irá apoiar os trabalhos.

Um professor ou o âncora do programa deverá conversar com os alunos sobre planejamento da atividade. Nessa conversa, será preciso lembrar que os alunos deverão se preparar para fazer um instrumento que concretize bons conhecimentos científicos sobre som e música. Assim, o começo de atividades deverá ser uma investigação sobre matemática, física e biologia da música. Mas, como de costume em desafios, todos não deverão estudar tudo. Melhor será dividir o trabalho. Por isso, o grupo de alunos deverá dividir-se em três subgrupos para estudar as relações de música e som com:

  • Matemática
  • Física
  • Biologia

Cada subgrupo de estudo deverá produzir uma lista das principais informações que conseguir obter. Esses resumos serão materiais de consulta na fase de produção do instrumento.

Terminada a fase de estudo das informações disponíveis, os alunos deverão iniciar a produção do instrumento. Os prováveis passos de produção serão os seguintes:

  • Escolha da matéria prima com a qual trabalhar. Para tanto os alunos deverão experimentar a produção de sons dos diversos materiais disponíveis. Parta tanto experimentarão diversos tipos de metais, verificarão a qualidade sonoras de cada um deles, conversarão sobre as diferenças encontradas etc. Ou seja, farão uma investigação extensiva de tudo que encontrarem à disposição na oficina. Verificarão diferenças de sons produzidos por barras de metais (se possível, barras feitas de diferentes metais), canos (também, se possível , feitos de diversos tipos de metais), cordas de metais (tais cordas poderão ser cordas de diferentes instrumentos como violino, violão, cavaquinho, violoncelo, baixo; há que se tomar cuidado para que as cordas não sejam identificadas como partes de instrumentos já existentes já o que se quer é que os alunos investiguem o material em “estado bruto”). Os procedimentos de escolha deverão ser acompanhados para se colher observações dos alunos, diálogos, registros de produção de sons etc. No final, os alunos deverão escolher o material com o qual vão trabalhar.
  • Concepção do instrumento. Há muitas alternativas para desenhar um instrumento. Ele poderá ser um conjunto de “sinos” pendurados num suporte de metal ou madeira, poderá ser uma sequência de barras de metal ou de segmentos de cano apoiados num suporte de madeira ou plástico, poderá um conjunto de cordas fixadas num suporte de madeira, metal ou plástico. Esses exemplos não esgotam as possibilidades de invenção. Talvez os alunos queiram tentar outros arranjos.  Se possível, os alunos poderão ilustrar suas propostas com desenhos esquemáticos.
  • Construção de um protótipo simples. A partir de um desenho inicial, os alunos poderão experimentar a idéia. Podem fazer um ou mais protótipos.
  • Construção do produto final. Assim que tiverem certeza do que podem e querem produzir, os alunos partirão para a fabricação do instrumento que inventaram.

O processo de produção requer  muitas providências que exigirão apoio para os alunos. Para cortar barras de metais, canos ou cordas, os participantes precisarão contar com a ajuda ou assistência de um técnico de oficina. Para determinar qual a nota musical produzida por uma fonte de som provavelmente deverão contar com ajuda de algum músico. Uma ação interessante na determinação de que nota está sendo produzida pelo material que vão processar, os alunos poderão fazer comparação entre o material com o qual trabalham e as notas musicais produzidas por algum instrumento musical (violão, flauta ou piano). Outra alternativa é a de comparar o som produzido pelo material produzido com os padrões de som de um diapasão [será preciso, portanto, disponibilizar um diapasão para uso dos alunos; parece que há diapasões digitais na Web que podem ser baixados gratuitamente]

Construir as partes do instrumento para que lãs reproduzam uma escala afinada pode ser muito difícil para os alunos. Se essa dificuldade for insuperável, eles poderão contar com a assistência de um musico que lhes dirá se cada peça produzida está produzindo o som esperado. [Como provavelmente o desafio seja realizado em localidade que tenha oficina de luteria, a escola realizadora e a produção deverão combinar os necessários apoios de profissionais da área com antecedência]

Anotei aqui alguns cuidados que deverão ser tomados. Mas não sei se anotei tudo que precisava. Além disso, não tenho condições de definir que equipamentos deverão estar disponíveis numa oficina para processar matéria prima neste desafio. Essas condições terão de ser investigadas previamente pela produção e pela escola realizadora.

Parte 3: apresentação do produto

É possível que parte do processo de produção tenha de ser mostrado no terceiro programa. Sugiro, assim, que a terceira parte comece com cenas mostrando os alunos na fase final de construção e acabamento do instrumento. Cabe reparar que os alunos deverão daqr um nome para o instrumento que inventaram. Para se ter uma idéia de nomes dados a instrumentos novos, vale uma visita ao site do conjunto argentino Les Luthiers, inventores de instrumentos informais. Eles podem ser encontrados em

http://www.lesluthiers.com/frame_instrumentos.htm.

 

Uma vez pronto o instrumento, será preciso que o mesmo seja mostrado publicamente. Uma idéia para isso é a de executar uma melodia breve e simples no instrumento. Isso poderá ser feito pelos alunos ou por um músico convidado. Uma idéia mais sofisticada é a de apresentar o novo instrumento num conjunto. Se isso for possível, o instrumento inventado poderá ser utilizado no solo de uma música acompanhado por pandeiro, flauta e violão [se a escola realizadora articular recursos locais de oficinas de luteria e conservatórios musicais, isso não será difícil. Acho importante essa idéia de execução musical pois assim daremos ao fim do programa uma cara de show.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: