Archive for maio \25\UTC 2008

Verdade nua e crua

maio 25, 2008

O título é estranho. E não há, por enquanto, assunto que o justifique neste Boteco. Trata-se de um experimento. Revelações sobre resultado serão mostradas no futuro. Aguardem.

Anúncios

Qualidade da educação brasileira

maio 23, 2008

Nossa educação não é das melhores. Ninguém duvida. Basta ir a uma escola e ver o que anda acontecendo. Basta ver o que nossos alunos estão (ou não estão) aprendendo. Mas nem sempre as críticas ao estado precário de nossa educação acertam a mão. Vi exemplo disso num blog (clique aqui para ver o original) faz algum tempo. Para não ter de muito explicar, reproduzo o registro (post) que me chamou a atenção:

Na falta de assunto e marasmo dos jornais de hoje, eu perambulando de site em site achei essa pérola no Jornal do Brasil.

do JB Online

Na imagem, lê-se:

04) Qual a função do apóstrofo?
Apóstrofos são os amigos de jesus, que se juntaram naquela jantinha que Michelângelo fotografou.

Depois desta resposta de um aluno numa prova, a Bíblia terá de ser reescrita, se ele virar um doutor em História e provar sua tese.

Vocês ficaram tão escandalizados como esse leitor do JB? Se sim, sinto muito. Duvido que a tal resposta foi obra de uma aluno. Ela tem toda a pinta de ser invenção de alguém que quer fazer graça com a falta de conhecimento dos nossos estudantes. Se de fato deu tal resposta, acho que o aluno deveria ser premiado por criatividade e pela fina ironia utilizada para desqualificar uma pergunta babaca.

Mas é bastante provável que a dita resposta seja invenção de algum pseudo intelectual. Tal inventor procura causar escândalo a partir de algo inteiramente descabido. Muita gente pode achar que o caso é prova cabal do péssimo estado de nossa educação. Bobagem pura. Quem é que precisa definir com correção o que é apóstrofo? Vocês, leitores, saberiam? Eu não sei. Nem quero saber. O conteúdo é totalmente irrelevante.

Se o caso fosse verdadeiro (e eu continuo insistindo que ele tem cheiro de invenção), o escândalo estaria na pergunta. Um sistema educacional onde ocorrem perguntas como “qual a função do apóstrofo?” perdeu o rumo. Cobrar definições formais de sinais diacríticos ou de qualquer outra convenção da escrita é pura perda de tempo. Como já disse, se verdadeira, tal resposta seria prova de que nossa educação anda muito bem. Dada por um aluno, como faz crer o JB e o blogueiro que a divulgou, ela seria indicador de grande espírito crítico e de capacidade inventiva elogiável.

Ignorância dos alunos não é o sintoma mais preocupante de nossa crise educacional. Mais preocupantes são as concepções educacionais de gente (educadores inclusos) que se acha ilustrada e dá importância a conhecimentos irrelevantes. E mais, acha que o tipo de pergunta do caso aqui citado é algo que deva integrar propostas avaliativas do dempenho escolar.

Referências em espanhol

maio 22, 2008

A gente anda pela Web. Comenta blogs. Convida, por meio de posts, ciberamigos para conversas. E quando menos espera se vê citado em sites e blogs de lugares distantes. Confesso que isso escova o ego. Mas tal escovação vai logo embora. O que fica é um sentimento de ser cada vez mais um cidadão do mundo. De ser alguém que tem interlocutores que jamais encontrará face a face. Tudo isso significa novas aprendizagens, novos modos de ser no mundo, novas maneiras de construir identidades. Por isso estou em campanha para que meus alunos construam blogs. Não estou muito preocupado com a escrita. O que mais quero é que eles experimentem oportunidades de uma cidadania sem fronteiras. O aprender que rola em tal esfera não tem substitutos. Nem pode acontecer por ouvir falar. Mais uma vez fica evidente a força do”aprender fazendo”.

A reflexão que registrei acima aconteceu depois que levantei algumas citações de meu nome e/ou trabalho em lugares como os seguintes:

Analogias e escritos do meu filho

maio 21, 2008

Tempos atrás, minha amiga Miriam levantou a lebre da pessoalização nos blogs. Se não me engano ela fazia referência a uma definição do blogar proposta pela Su. Em tal definição, Su afirmava que blogs precisam passar, além de assuntos alvo, informações que tornem o conversa blogueira mais autêntica e pessoal. Estou dizendo tudo isso de memória e talvez não reproduza nada do que Miriam e Su tenham dito. Mas sabem como é a memória, uma reinterpretação da experiência sempre influenciada por nossas crenças e manias. Chega de prolegômenos, vamos aos assuntos do título.

Resolvi pessoalizar este Boteco com algumas informações sobre meus filhos. Volto a falar aqui de meu filho mais novo, doutorando em física teórica na Universidade de Wurzburg. Outro dia, conversando com ele via Skype fiz um interrogatório insistente sobre sua produção científica. Ele me disse que já está indo para o quinto artigo em revista internacional, façanha bastante razoável para quem está começando o doutorado. Ele me aconselhou a não ler sua obra, pois acha, com toda a razão que não vou entender patavina. Física não é minha praia, muito menos o campo teórico por onde meu herdeiro navega. Mas sabem como é, pai coruja acha sempre bonitas todas as obras de suas crias. Se você quiserem ver o que o André anda escrevendo, basta clicar aqui em artigos. A clicada vai revelar quatro obras de A. C. Barato. A quinta ainda não está disponível.

Faltou falar sobre analogia. Serei breve. Em meus tempos de mestrado encantei-me com analogias e metáforas. Meu amigo e mentor, Brock Allen, incentivou esse meu interesse e propôs que eu fizesse um estudo independente sobre o assunto. Fiz. Não ficou grande coisa, para decepção do Brock (ele alimentava a esperança de que eu cometesse um estudo que pudesse ser publicado numa revistona de tecnologia educacional ou ciência do conhecimento). De qualquer forma aprendi muito sobre analogias e metáforas na ocasião (e me encantei para sempre com metáforas). Entre outras coisas, aprendi que analogias podem desempenhar um papel importante no nosso processo de compreensão. Vejo agora que meu filho está usando analogias em um de seus estudos . Deve ser coisa bonita, pena que eu nada entenda de matéria condensada.

Novas soluções e novos problemas

maio 15, 2008

Facilidades. É isso o que prometem as novas tecnologias da informação. As ditas resolvem muitos problemas. Hoje compro quase todos os livros que quero via Internet. Na Amazon Books posso fazer uma coisa de que gosto muito: andar no meio da livraiada para ver se encontro algo de interesse [é isso: andar pelo site da Amazon é muito parecido com andanças por boas livrarias]. E há muito mais: serviço bancário em casa, facilidade para fazer o IR, jogar um joguinho maneiro, falar com filhos e amigos via Skype, informar-se sobre os amigos por meio de blogs ou do Twitter. Trabalhar. Etc. Etc.

Mas as facilidades e soluções trazem novos problemas. A gente os vai descobrindo na medida em que usa cada vez mais os computadores. Um desses novos problemas é o estresse ocular. Soube disso hoje ao ler uma mensagem no post da minha amiga Ana Scatena. Querem saber mais? Entrem no papo coma Ana clicando bem aqui.

Mais uma referência sobre edublogs

maio 15, 2008

Meu amigo Antônio Morales acaba de me enviar indicação de uma entrevista sobre usos educacionais de blogs. Li o material. Achei-o muito didático. Quem me conhece sabe que não gosto de propostas que domesticam os meios de informação [o didatismo faz isso]. Mas não sou sectário. Divulgo, sem qualquer receio, referências das quais discordo. Assim, se quiserem ver a referida referência, cliquem aqui.

Publicador de WebQuests/WebGincanas

maio 15, 2008

Se você domina os fundamentos de como planejar e construir uma WebGincana, publicar o trabalho na Web será muito simples. Basta utilizar um publicador. Embora a gente ainda não tenha um bom publicador de WebGincanas, há ferramentas de geração de WebQuests que podem ser adaptadas para os fins. A mais amigável delas é o phpWebQuest. O gabarito de WebQuest do referido site tem tudo que é preciso para colocar sua WebGincana no ar. Haverá apenas a necessidade de uma pequena adaptação: o Desafio deverá ser editado na seção “Tarefas”.

Inclusão Digital: Teste para Docentes

maio 15, 2008

As novas ferramentas estão aí. Para o bem e para o mal, as novidades digitais vão entrando no cotidiano de todos nós. Impossível fugir delas. E como já disse Neil Postman:

As TIC’s já venceram a batalha, não adianta continuar a luta contra elas, cabe agora discutir os termos de rendição.

Hoje algumas profissões, a de bancário, por exemplo, são impensáveis sem computador. E como é que anda a coisa em educação? Muitos educadores ainda não assinaram os “termos de rendição”. Ainda combatem ou ignoram as novas mídias. Você sabe como anda neste campo? Para ajudá-lo a pensar sobre o caso, há um teste que pretende medir o avanço docentes em usos de recursos digitais. Você pode encontrar tal teste no blog da Marli. Faça o teste e registre o resultado num comentário para este post. Ah! Para entrar no citado post da Marli, basta clicar aqui.

Blog & Bobagem

maio 13, 2008

Há blogs para tudo. Alguns são pura bobagem. Vi hoje um exemplo disso em post do Boing Boing. Trata-se de um fotoblog dedicado exclusivamente a imagens que mostram pais e filhos, com cabeças trocadas. Pura bobagem, mas é engraçado. Se quiser ver a obra, clique na imagem.

Cópia de imagem interessante

maio 12, 2008