Emoções e neurologia

Hoje as emoções são a estrela do show. Mas, essa chegada ao estrelato pode rebaixar outros atores importantes no drama da vida. Para pensar sobre o assunto resolvi traduzir um trecho de obra do Antonio Damasio.

A consciência central (core consciouness) não tem uma posição de destaque. na ordem das operações que permitem aos seres humanos serem o que são. Ela é parte da fundação de um edifício complicado, não um sonhado pináculo de suas alturas. Em sua posição de ordem, a consciência central está acima, mas não muito longe, de outras capacidades fundacionais, como a ação, a emoção, e as representações sensoriais, que compartilhamos com muitas outras espécies.

A essência dessas capacidades fundacionais mudaram provavelmente muito pouco quando comparamos sua versão humana com as não humanas. Por exemplo, não vejo evidência de que a emoção ficou “melhor” nos humanos. O que ficou diferente é o sentido que as emoções desempenham em nossas vidas, e que a diferença é uma consequência do melhor conhecimento que temos da substância de nossas vidas. Memória, linguagem e inteligência fazem a diferença, não a emoção. O mesmo provavelmente se aplica à consciência. A consciência ampliada ocorre em mentes dotadas de consciência central, mas somente quando essas mentes podem confiar em memória, linguagem e inteligência superiores, e quando os organismos que constroem essas mentes interagem com meios ambientes desejável. Em síntese, consciência é um enorme passo para a civilização, mas não é a própria civilização. (DAMASIO, Antonio. The Feeling of What Happesn: Body, emotion and the making of consciouness. London: William Heinemann, 1999, p. 311)

Como disse, o estrelato da emoção está a nos fazer esquecer a importância (superior) de memória, linguagem e inteligência. Somos o que somos porque conseguimos refinar as emoções com inteligência, não porque as emoções ocupem um papel central em nossas vidas. Há mais o que considerar, mas paro por aqui e deixo com o leitor a responsabilidade de tirar boas conclusões do trecho de Damasio que eu trouxe para cá.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: