Celulares e almas perdidas

O uso de celulares no espaço público mudou completamente comportamento de muitas pessoas. Um desses usos resulta na mania do sefie. Tem gente que fotografa tudo. Fotografam até o ato de fotografar. O que vemos hoje é a epítome da Sociedade da Imagem. Daniel Boorstin, em seu clássico The Image, nunca imaginou que sua descrição de uma sociedade que elegeu a imagem como forma predominante de comunicação e significação chegaria a tal ponto.

Trago para cá um vídeo que aborda isso com muito humor. Tal vídeo vale mais que um tratado sobre o assunto, pois, como diziam os latinos, ridendo castigat mores.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: