Conhecimento e verdade: uma avaliação diferente

Em meus tempos de professor de filosofia em cursos de comunicação social, fiz várias experiências para deixar de lado a sisudez nas abordagem de temas filosóficos. Inventei. Experimentei. Acertei. Errei. Foi uma aventura interessante. Para muitos alunos, surpreendente. Para alguns, incômoda.

Tentei inovar no desenvolvimento de aulas, na solicitação de trabalhos para os alunos, na avaliação. Revendo meus guardados, encontrei uma avaliação que quero compartilhar com interessados e talvez com algum ex-aluno que passe por aqui.

Em meu programa, dei destaque à epistemologia. Em comunicação social fala-se muito em verdade, em verificação, em fidelidade aos fatos. Presume-se que o povo da área de comunicação social tem a verdade como um de seus compromissos mais sagrados. Por isso, julguei que meus alunos deviam ter uma iniciação em epistemologia.

Depois de oito aulas sobre epistemologia, sempre relacionando essa disciplina filosófica com os fazeres dos profissionais de comunicação, achei que deveria realizar uma avaliação. Não uma prova sobre o que é, quais são as partes de, escreva sobre etc. Resolvi que uma técnica de escrita criativa, a redação cooperativa, poderia ser um modo interessante de verificar o que sabiam meus alunos. Segue aqui o que fiz.

 

Atividade de Avaliação
Filosofia nos cursos de comunicação social
Universidade São Judas Tadeu

Professor Jarbas Novelino Barato

 

Em oito aulas fizemos diversos exercícios com a finalidade de examinar problemas relacionados com epistemologia, disciplina filosófica que estuda a questão do conhecimento. Examinamos principalmente situações que podem nos ajudar a refletir sobre a verdade. Já é hora de verificar como as coisas vão indo. Será que já temos algumas ideias mais claras com relação ao nosso conhecimento?
Procuramos, ao analisar questões do conhecimento, articular nossas reflexões com dois conceitos muito importantes para profissionais de comunicação social: informação e comunicação. De certa forma, um e outro conceito é sinônimo de conhecimento. Um e outro é representação de objetos, situações, ideias.
Mas, chega de conversa sobre o que rolou até agora. A proposta é fazer uma avaliação. Para que? Para ver como os alunos estão percebendo questões epistemológicas. Para ajudar o professor a melhor planejar o que vem pela frente.
Proposta de avaliação
Vocês não farão um teste. Nem darão respostas para uma série de questões. Esta avaliação é diferente. Elaborei uma proposta de redação cooperativa, a partir do início de uma história. Muitos de vocês já fizeram exercício de redação cooperativa. Lembram-se da história da Cotovia e os Sapos? Agora a redação merece um pouco mais de capricho. Ela servirá de elemento de verificação de aprendizagem (a popular avaliação). Vejam, a seguir, o que será feito:

1. Cada um de vocês continuará a história no ponto em que ela parou. Se não pudermos fazer a avaliação em laboratório, caprichem na letra, por favor.
2. Será considerada a redação cooperativa com participação de cinco alunos.
3. A cada dez minutos, as folhas de redação (ou telas Word) mudarão de mãos . Essas mudanças serão determinadas pelo professor.
4. Quando a redação estiver concluída (ou quando o professor determinar o fim da atividade), cada grupo deverá escolher a melhor história que elaborou. Apenas esta será considerada para efeitos de avaliação.
5. A história que será apresentada a seguir tem como personagem central uma senhora chamada Verdade. Na continuação da narrativa (obra de vocês), essa senhora deverá encontrar-se com os seguintes personagens:
• Percepção
• Razão
• Poder
• Interesse
• Pensamento
• Representação
• Epistemologia
• Erro ou engano
• Ciência
• Informação
• Comunicação
• Racionalismo
• Empirismo
Não se esqueçam de registrar nomes e RA dos autores na medida em que a redação for se desenvolvendo.
O ponto de partida para todos os grupos é o texto que segue.

 

Dona Verdade Chegou
Ela é uma senhora. Bonita. Vivida. Bem humorada. Nasceu muito longe, numa outra galáxia. E ninguém sabe por que ela resolveu fixar residência no planeta Terra. Ah! O nome dela? Dona Verdade.
Faz alguns anos que Dona Verdade anda por aqui. Já visitou todos os países. Já participou de muitos eventos históricos. Sempre desejou ser bem conhecida, mas, numa entrevista, declarou que muita gente sequer olha para ela. E tudo que ela quer é estar presente na vida de todos.
Nos últimos tempos, Dona Verdade parece muito preocupada. Na maior parte dos lugares por onde passa ninguém lhe dá a mínima. Ela até andou pensando que o problema é de aparência. “Talvez eu esteja ficando velha”, pensou a bela senhora. Considerou fazer uma plástica e até uma lipo. Porém, depois de muito pensar, ela chegou a uma conclusão terrível. Ninguém mais a vê. Ela ficou invisível.
As coisas precisam mudar, pensa Dona Verdade. Para tanto, ela começou a conversar com seus vizinhos, amigos e conhecidos dos velhos tempos: pensamento, percepção, razão etc. Ela acha que vai encontrar um modo de recuperar a visibilidade.
Começou assim uma grande aventura. No fim desta história saberemos se Dona Verdade tem chances de recuperar sua visibilidade.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: