Objetivos em educação

Encontrei em meus velhos arquivos síntese que elaborei para meus alunos de tecnologia educacional em 1999. É um material que, acho eu, pode ser um ponto de partida para conversas sobre objetivos educacionais. Publico a síntese, perguntando se a mesma tem alguma serventia.

Comentários, favoráveis e desfavoráveis, serão benvindos.

CLASSIFICAÇÃO DE CONHECIMENTOS

E OBJETIVOS EDUCACIONAIS: SÍNTESE

 

 

Tecnologia Educacional

Jarbas N. Barato

06/99

 

 

 

  1. 1.     INTRODUÇÃO

 

  • Visão Tradicional:

 

–       apresenta um esquema geral, um documento a ser preenchido pelo professor;

–       no geral, as escolas utilizam um formulário parecido com o que segue:

 

OBJETIVOS

CONTEÚDOS

ESTRATÉGIAS

RECURSOS

AVALIAÇÃO

    

 

 

 

 

       

 

  • Objetivos: resultados esperados

 

  • Conteúdos: programa a ser desenvolvido (matéria)

 

  • Estratégias: técnicas e métodos de ensino a serem utilizados

 

  • Recursos: materiais e meios a serem utilizados

 

  • Avaliação: instrumentos e métodos para a verificação da aprendizagem

 

  • Críticas:

 

–       não há uma discussão mais aprofundada sobre o significado dos componentes do planejamento de ensino;

 

–       entre os componentes, objetivos é um conceito pouco estudado; trabalha-se, no caso, com senso comum;

 

–       apesar das exigências do formulário, o que fica valendo é o PROGRAMA, a MATÉRIA;

 

–       sem uma discussão do significado dos componentes, o planejamento acaba sendo uma atividade burocrática.

 

 

  1. 2.     QUAL O PONTO FUNDAMENTAL DO PLANEJAMENTO DO ENSINO?

 

  • O ponto central de planejamento de ensino são os OBJETIVOS.

 

  • Por que OBJETIVOS?

 

–       necessidade de clareza quanto a resultados esperados

 

–       definição de resultados como DESEMPENHOS DOS ALUNOS

 

ê que é que esperamos que as pessoas FAÇAM, SEJAM, MANIFESTEM?

 

–       dos objetivos dependem todos os outros componentes do planejamento de ensino.

 

 

  1. 3.     COMO ESTUDAR OBJETIVOS?

 

  • OBJETIVOS como conhecimento e como habilidades cognitivas dos aprendizes.

 

¨      TIPOS DE CONHECIMENTOS: o que é que os alunos devem aprender

 

¨      TIPOS DE HABILIDADES COGNITIVAS: como é que os alunos vão aprender; como é que os alunos vão continuar a aprender os CONTEÚDOS            depois do curso

 


 

  1. 4.     OBJETIVOS/CONHECIMENTO

 

  • Necessidade de uma definição do que é conhecimento:

 

–        conhecimento como REPRESENTAÇÃO

 

–        REPRESENTAÇÃO: elaboração pessoal e subjetiva de experiências e informações recebidas pelos alunos

 

–        reiterando: representação é elaboração, não é gravação, não é guardar a matéria

 

  • Necessidade de classificar de modo claro os conhecimentos exigidos para um domínio competente da matéria.

 

 

  1. 5.     CLASSIFICAÇÕES

 

  • Parece que há diferenças entre os seguintes conteúdos:

 

–      tabuada (decorar a tabuada)

–      adição (realizar operações de adição)

–      números primos, naturais (distinguir, identificar)

 

ou ainda

 

–        verbos regulares (conjugar)

–        substantivos (identificar)

–        ortografia (como escrever corretamente…)

–        redação (como escrever uma descrição)

 

  • Constatação:

 

–        parece que, em cada matéria, há conteúdos que correspondem a diferentes tipos de conhecimento;

 

–        possivelmente não aprendemos do mesmo modo todos os conteúdos de uma matéria;

 

–        possivelmente uma classificação de tipos de conhecimentos poderia nos ajudar a definir melhor OBJETIVOS em educação.

 

 

  1. 6.     OBSERVAÇÃO SOBRE CONHECIMENTOS COMUM

 

  • Mesmo em áreas não escolares (nos botecos da vida, por exemplo) é possível constatar diferentes tipos de conhecimento.

 

¨      São diferentes, por exemplo, os saberes necessários para responder perguntas tais como:

 

–            que é pinga?

–            como se faz uma caipirinha?

–            que há no boteco?

 

 

  1. 7.     PASSAGEM

 

  • MODOS DE CLASSIFICAR O SABER

 

  • Há muitos

 

–       teoria e prática

–       ciência, senso comum, religião, mito

–       coração/razão

–       objetivo/subjetivo

–       etc.

 

  • EM EDUCAÇÃO

 

–       Taxonomia de objetivos (Bloom, Gagné, Merrill, etc.)

–       Examinaremos a taxonomia de Merrill

 

 

  1. 8.     COMO O CONHECIMENTO SE ESTRUTURA

 

  • Que operações mentais realizamos para elaborar conhecimentos?

 

–       Merrill propõe quatro operações básicas:

 

1)   Operação de identidade (fato)

 

g= fator de aceleração

 

  • a operação, no caso, é uma associação entre dois termos, como, por exemplo:

 

v um símbolo e seu nome

v um acidente geográfico e seu nome

v uma data histórica

 

 

 

 
   

A  >>>>>>>>>> a

ou

A <<<<<<<<<< a

 

 

2)   Operação de classificação ou de criação de categoria (conceito)

 

  • a operação, no caso, é a elaboração de uma categoria geral que nos ajuda a incluir ou excluir elementos de um dado conjunto;

 

  • verbos usados em perguntas que supõem estruturas de conhecimento às quais damos o nome de conceitos:

 

¨      definir

¨      classificar

¨      distinguir

¨      categorizar

¨      exemplificar

¨      conceituar

¨      identificar

¨      etc.

 

  • conceitos incluem ou excluem casos, situações, idéias, modos de ser, elementos etc.

 

v Para pensar: por que classificar é uma atividade humana importante? Pense num exemplo em que a classificação de algo faz diferença.

 

3)  Operações de relações causais (princípios)

 

  • o que um fenômeno, atitude, objeto pode provocar?

 

–       por que fumar prejudica a saúde?

–       por que o desemprego está aumentando?

–       por que continuam a existir casos de dengue no Brasil?

 

   etc.

 

  • Falamos aqui de uma estrutura de saber que exige relacionar causa e efeito…

 

4) Operações de relações seqüenciais (processos)

 

  • Falamos aqui de uma estrutura que supõe a organização do conhecimento em seqüências lógicas para se chegar a um fim.

 

 

  1. 9.     COMO O CONHECIMENTO É APLICADO

 

  • Tipos de conhecimentos referem-se à estruturação do saber

 

  • A estrutura descreve conteúdo, não diz como o que sabemos é aplicado

 

  • Daí: necessidade de considerar desempenhos cognitivos.

 

  • Três aplicações:

 

–       memória

–       uso

–       invenção

 

  • memória   ê  recupera um dado existente; é como você conferir se um item está ou não estocado

 

  • uso  ê faz com que um saber existente funcione no mundo; exemplos

 

–       conceito de azedo é utilizado para recusar um alimento…

–       princípios de hierarquia são usados para não ultrapassar os limites que ofenderiam o chefe.

–       idéias de seqüência são utilizadas para resolver um problema matemático

 

  • invenção ou descoberta

 

–       um vendedor cria um novo método para abordar clientes

 

 

 

 

  1. 10.            COMBINANDO AS COISAS

 

  • Conhecimentos factuais são aplicados exclusivamente no nível de memória.

 

–       Não há como aplicar o conhecimento de que Brasília é capital do Brasil.

 

  • Conhecimentos conceituais podem ser memorizados, usados e inventados. Exemplos:

 

–       Posso memorizar uma definição de mamífero

–       Posso usar o conceito de ironia para interpretar uma frase de alguém

–       Posso criar (inventar) uma nova categoria…

 

  • Conhecimentos de princípio podem ser memorizados, usados e inventados.

 

  • Conhecimentos de processos podem ser memorizados, usados, inventados.
Anúncios

Uma resposta to “Objetivos em educação”

  1. Paula Ugalde Says:

    Muito Interessante! Não mudou muito… Post com permanência! Tks!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: