Criança Feliz

Faço uma excessão aqui no Boteco. O assunto não é educação. Não é tema de recreio. Não é música para amenizar a chatice da vida. Estou postanto uma foto de Marlene Bergamo, feita num abrigo dos ex-moradores do Pinheirinho, um imenso terreno com casas simples e barracos de gente pobre. O local foi desocupado por uma força policial de dois mil soldados. Os moradores não tiveram tempo para esboçar qualquer reação e foram retirados à força do lugar em que viviam. Seu retorno, para retirar pertences (os objetos de algum conforto que a vida moderna pode proporcionar a quem os compra), começou apenas 24 horas depois da ocupação da polícia militar, sob controle estrito.

Os ex-moradores do Pinheirinho foram abrigados em locais provisórios e precários. A meninha da foto estava num abrigo.

Faço um registro para chamar atenção de pessoas que não irão reparar num detalhe. Há, no braço da criança, uma pulseira verde. Ela foi colocada por funcionários da prefeitura nos ex-moradores cadastrados pela municipalidade. A explicação para tal medida é a de que isso facilita rápida identificação dos desabrigados do lugar, agilizando medidas de assistência social. Acho que a medida é de uma profunda  violência simbólica. Medidas parecidas foram utilizadas para “marcar” os judeus na Alemanha nazista. Digo isso com muito cuidado. Cito o caso dos judeus apenas para lembrar que certas medidas de controle trazem em seu bojo discriminação. Tais medidas, num estado democrático, precisam ser criticadas. Quem as toma nem sempre tem consciência do peso de violência simbólica que elas carregam.

Nos últimos dias, muito se discutiu sobre a desocupação do Pinheirinho. Fui uma das pessoas que, nas redes sociais, dedicou certo tempo em conversas e dicussões do ocorrido. Mas, de tudo que vi até agora, a foto da Marlene é a acusação mais contundente contra o tratamento desumano dado aos moradores do Pinheirinho. Artistas conseguem ver dramas da vida com  mais clareza que pessoas que não tem sensibilidade para, nos detalhes, perceber a natureza e extensão dos dramas da vida.

Acrescento um complemento: a foto aqui mostrada é material de aprendizagem que a maioria dos educadores não tem qualquer competência para produzir. Assim, embora eu tenha dito no início que não iria falar de educação, sou obrigado a reconhecer que a Marlene com sua obra nos educa a todos. Nos educa a ver com maior sensibilidade a vida de cada dia.

Anúncios

4 Respostas to “Criança Feliz”

  1. Neusa Maria Goys Says:

    Detalhes que revelam valores atitudes equivocadas. Parabéns Marlene.

  2. jarbas Says:

    É isso Neusinha. Com a foto, Marle nos ensina a educar com arte.

  3. Ivo Martins Cambuí Says:

    Muito mais do que as Campanhas de Captação de Recursos realizados pelas Tvs Brasileiras, essa linda criança e as demais do Pinheiro merecem ter esperança.

  4. Margarete Barbosa Says:

    Olá, Jarbas!

    A foto de Marlene Bergamo mexeu muito comigo. Os artistas, no caso os fotógrafos, trazem nas imagens outra maneira de ver o mundo e nos provocar a ver também e a sair do ‘lugar confortável’ em que muitas vezes nos encontramos. O que mais me chamou a atenção na foto é o que está escrito na roupa da criança: “Estou (sou) sempre feliz”. Parece contraditório, tendo em vista a situação em que estão as famílias; mas não é.Percebo no meu cotidiano que as crianças, em geral, são felizes, qualquer coisa ou brinquedo é motivo de alegria. Nós (adultos) é que tornamos a realidade dura e fria e colocamos para elas essa realidade. Precisamos da sensibilidade artística para não nos tornarmos pedras e nos reeducarmos sempre. Um abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: