Dois ícones da informática

Em minhas recentes andanças pela Web, procurando referências sobre The Oregon Trail, encontrei material que associa dois ícones da informática: a simulação criada por três jovens professores de Minnesota e o Apple IIe. Doctor Kamenev (provelmente um nome de fantasia) colocou no Youtube vídeos com uma rodada completa de The Oregon Trail numa versão para a famosa máquina da empresa da maçã. Kamenev roda o programa a partir de um emulador do MacIntosh para o Apple IIe.

O que é mostrado nos vídeos é uma partida completa do jogo. O material é ótimo para duas coisas: conhecer como funcionava o velho Apple IIe, verificar concretamente como a simulação se desenrola em The Oregon Trail. Infelizmente, o que se vê é um jogo jogado. Para experimentar a simulação na sua versão dos inícios de 1980 seria preciso ter uma daquelas maravilhas da Apple ou um MacIntosh com emulador. De qualquer forma, o VT é um documento importante para quem queira estudar uma das simulações mais criativas no campo da tecnologia educacional.

Antes de colocar aqui o vídeo, quero destacar alguns dos comentários que o acompanham no Youtube.

No comentário mais recente, um professor que conheceu The Oregon Trail, versão Apple IIe, em seus tempos de estudante, diz que  em sua escola  ainda há antigas máquinas guardadas em caixas. Recentemente, ele colou uma delas para funcionar e rodou com seus alunos The Oregon Trail. Tudo funcionou a mil maravilhas. Máquina fantástica. Software idem. Segue cópia integral desse depoimento.

I loved this game when I was in school. Now, I work for a school system, and years ago we boxed up our AppleIIe’s and AppleIIgs’s….. but if you pull one out of storage, they STILL WORK. Including those old Oregon Trail disks. NICE! Amazing machines, terrific game. Farmer mode on this game is still hard, I think that it’s not possible to guarantee a win on that setting no matter how good you are at it, there’s always a chance to lose even if you make no mistakes.

IgnatzKolisch 1 ano atrás

Kamenev, em resposta à observação sobre o Apple IIe, nota que a velha máquina continua fantástica e ainda pode ser aproveitada. Segue cópia integral do que ele disse.

I actually dug up an Apple IIe with a monochrome monitor when I was in high school. It was great. We didn’t have any game disks, but we dicked around satisfactorily. Unfortunately, some silly people who didn’t know what an old computer looked like poked around in it and broke it. I fixed it, but then they broke it again — for good. Such a shame.

DoctorKamenev 1 ano atrás
Alguém comenta que na escola em que estudou os Apple IIe ainda estavam ativos em 1993. Essa observação é muito boa. No Brasil, muito antes do citado ano, organizações educacionais haviam aposentado o Apple IIe, alegando que a máquina era ultrapassada. Vi isso acontecer no Senac e na Unicamp. Tentei lutar contra, mas os informatas de um e outro lugar me viam como um ser atrasado incapaz de apreciar a maravilha daqueles IBM’s PC que começavam a invadir o mercado. A dispensa precoce do Apple IIe no Brasil é um exemplo de nosso comportamento perdulário com relação à tecnologia, vítimas que somos de um novidadismo já denunciado por Lévi Strauss quando viveu por aqui.
Eis mais uma cópia integral de comentário feito por espectador do VT:
AAH! So funny, our school in ’93 had about thirty Apple IIs with the monochrome monitor and a thing on the wall filled with those huge floppy disks. Computer time was mental, 26 kids squabbling over one disk; Oregon Trail. This game was like the pinnacle of our day.
Eu poderia discorrer mais sobre o encontro dos dois ícones da informática. Mas, creio que o amável leitor quer ver o vídeo. Aqui vai a primeira parte.
Disquetes do velho Apple IIe não tinham grande espaço de memória. Por essa razão, quando se tratava de programas longos, era preciso dividir o conteúdo em vários disquetes. Na simulação em curso, depois de andar uma boa parte do caminho, os participantes tinham que trocar o disco. Vamos, portanto, para a próxima etapa. Antes de seguir em frenter, observo que Kamenev à medida em que joga o jogo vai tecendo vários comentários, alguns deles meio irritantes. Pronto? O segundo disquete será mudado. A aventura continua.
Kamenev não deve ser americano. O sotaque é evidente. Os comentários continuam a ser irritantes. Mas esse é o preço a pagar para acessar a versão Apple IIe de The Oregon Trail. E a história continua no próximo segmento.
Finalmente a última parte. Doctor Kamenev chegou ao Oregon, com algumas perdas, mas com relativo sucesso.
Opinião. O material aqui divulgado pode ser interessante para quem anda pesquisando usos de computador em educação. Pode também ser utilizado na formação de professores que estejam se preparando para mais aprender sobre relações entre informática e educação.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: