Prazer em aprender

Predomina em certos meios educacionais a ideia de que a educação precisa ser divertida. Essa ideia é influenciada pela Sociedade do Espetáculo.

Há, no caso, uma confusão. O que precisamos é de uma educação prazerosa.

Prazer não é o mesmo que diversão.

Não vou mais desenvolver o assunto. Já fiz isso num artigo publicado há cerca de dois anos numa revista eletrônica. Para quem quiser saber mais sobre o que penso a respeito do assunto, aqui vai o link para o dito artigo:

Anúncios

4 Respostas to “Prazer em aprender”

  1. Conceição Rosa Says:

    Falei exatamente isto sobre esta questão em um fórum, há umas duas semanas.
    Não precisamos trocar aulas chatas pela espetacularização do ato de educar. A medida para aprendizagens duradouras não estaria no entrenimento, mas no envolvimento com os objetos de estudo: um problema, um projeto, um jogo elaborado…
    Uma questão que me preocupa é até onde a insistência pela diversão na educação irá beneficiar aprendizagens efetivas, envolvimento e comprometimento com os estudos?

    • jarbas Says:

      Bom comentário o seu.
      Diversão é atividade que não gera compromisso. É “distração”. É o circo romano inventado para as pessoas não refletirem. É atividade que faz bem. Durante e depois de uma diversão a gente pode dizer “I feel good!”. Ou seja, a gente entra num estado de satisfação. Mas, não aprende. Quando muito aprende que diversão é bom para que nos esqueçamos de coisas exigentes (como o estudo, por exemplo).
      Toda essa conversa nos remete a uma das obras de Neil Postman: Amusing Ourselves to Death.
      O que muitos educadores não percebem é que a convicção de que a educação precisa ser divertida interessa apenas aos donos da Sociedade do Espetáculo. Postman, ao criticar Sesame Street, concluiu que o famoso programa infantil de TV não faz as crianças amarem a aprendizagem. Sesame Street faz as crianças amarem a televisão.
      Escrevi em demasia para um comentário. Mas, acho que sua contribuição merece atenção demorada.
      Continuamos o papo em outra ocasião.

      • Conceição Rosa Says:

        Volto ao assunto pelo que representa para mim.
        O que significa o ato de estudar e, consequentemente, aprender, e a relação entre diversão, estudo e aprendizagem?
        Tenho como referência o texto de Freire “O Ato de Estudar” onde exemplifica, através da atitude de dois personagens, impedidos de prosseguir com o carro diante de um lamaçal em um canavial, o que seria este ato e quais procedimentos lhe são necessários.
        E o que significa envolvimento, desafio e comprometimento, e quais relações estão implícitas na ode à diversão que vemos se espalhar nos discursos que se repetem no meio educacional?
        Talvez eu esteja errada, mas minha preocupação encontra respaldo aqui: http://issuu.com/revistasorria/docs/sorria08/27

  2. Educação e diversão | Cultura da Escola Says:

    […] laptops, jogos, etc… A diversão na aprendizagem é uma concepção que, segundo o Professor Jarbas, advém da área do […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: