Escola: auditório X laboratório

Num dos trechos de School, os autores comentam mudanças fundamentais no espaço escolar exigidas pela Escola Nova. O primeiro modelo de escola criado pelo capitalismo, com propósitos de formar trabalhadores disciplinados entrara em crise. Outras possibilidades de desenho do espaço escolar começam a surgir no final do século XIX. Exigências de uma educação ativa não combinavam com prédios planejados para uma aprendizagem contida.

Para exemplificar as mudanças ocorridas, Catherine Burke e Ian Grosvenor contam um caso acontecido com Dewey. O grande educador americano, quando planejou a sua  escola experimental, criada em Chicago no ano de 1896, procurou um fornecedor de móveis escolares. Este não pode atender ao pedido de Dewey. Para justificar a impossibilidade de forncecer os móveis que autor de  Experiência e Educação pedia, o fornecedor fez a seguinte declaração:

– O senhor quer algo que capacite o aluno a trabalhar;  tudo que nós temos foi feito para que ele ouça.

Esse registro me lembra uma das observações que meu amigo Steen Larsen, educador dinamarquês, faz com alguma frequência. Steen costuma dizer que a escola que temos é um auditório. Isso acontece inclusive em prédios abarrotados de recursos eletrônicos. A arquitetura interna das escolas, apesar de toda a nova parafernália, continua ser um lugar onde predomina um ensino baseado na fala do professor ou de qualquer outro agente cultural que aparece em telas de TV ou computadores. Meu amigo da Dinamarca entende que devemos buscar uma organização dos espaços escolares de maneira a favorecer uma concepção de laboratório. Ou seja, a de um lugar onde os alunos trabalham.

A mudança que o fornecedor de Dewey percebeu há mais de cem anos continua a ser um   grande desafio. Ela, muitas vezes, fica no discurso. Por isso é bom olhar para a arquitetura interna das escolas. Esta, sem palavras, grita qual é o enfoque que predomina. Ainda temos mais auditórios que laboratórios em nossas instituições de ensino.

Anúncios

3 Respostas to “Escola: auditório X laboratório”

  1. Michel Goulart Says:

    Gostei da concepção de escola, professor. Qual seria o modelo ideal para organizar o espaço interno da escola?

    • jarbas Says:

      Alô, Michel

      Bom vê-lo nete Boteco mais uma vez.
      Não tenho uma resposta pronta e definitiva para sua pergunta. Como disse, a mudança necessária é um desafio. De qualquer forma, acho que posso adiantar alguns palpites genéricos. O espaço escolar precisa:

      * favorecer trabalhos colaborativos
      * proporcionar muitas atividades que exijam manipulações de objetos
      * ser bonito e confortável
      * articular interior e exterior
      * favorecer o aprender com os outros

      Mais haveria o que acrescentar. Mas acho que esta lista inicial já está de bom tamanho. Abraço,

      Jarbas

  2. Tweets that mention Escola: auditório X laboratório « Boteco Escola -- Topsy.com Says:

    […] This post was mentioned on Twitter by Michel Goulart, Michel Goulart, José Roig, José Roig, José Roig and others. José Roig said: RT @robsongfreire: RT: @profmichel: Escola: auditório x laboratório http://bit.ly/ansiCu //Gostei da concepção de #escola (via @novelino … […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: