Como não fazer Powerpoint

Você certamente já viu slides de Powerpoint hiper poluídos. Quem os faz acha que é moderno e bom comunicador. Quem os vê acha que está diante de uma chateação.

Num Powerpoint o que importa é a imagem. Nada de detalhes. Cada slide é um convite para destacar um ponto, para ilustrar uma idéia. Por isso, texto excessivo nos slides nada comunica. Por isso, imagens poluídas aborrecem a platéia. Essas descobertas não são novas. Os modernistas da antiga União Soviética sabiam disso. Nessa linha, produziam cartazes com imagens simples e poucos detalhes, com pouco ou nenhum texto.

Tentei encontrar um cartaz de Kandinsky sobre o exército vermelho. Na obra, o pintor mostra uma cunha vervelha que penetra numa superfície branca (o exército branco combatido pelas forças revolucionárias). Poucas palavras. Algo assim: o vermelho derrota o branco. Nada mais. Bem diferente de certos cartazes nos quais os comunicadores querem colocar “todas” as informações. Excesso em cartazes acaba não chamando atenção das pessoas. Acaba nada comunicando. Como não encontrei o cartaz de Kandinsky, coloco aqui um outro exemplo mais recente: cartaz que mostra a força dos aliados no combate ao nazismo.

Volto ao Powerpoint. Em recente exposição sobre a Guerra no Afeganistão, o exército americano produziu uma obra prima de como não produzir slides em Powerpoint. Reproduzo aqui figura publicada no The New York Times sobre complexidade da estratégia americana na guerra. Alguém comenta que o material não é uma “figura informativa, é um tijela de espaguete”. Não preciso dizer que o slide é exemplo acabado de não-informação.

Anúncios

4 Respostas to “Como não fazer Powerpoint”

  1. Adauto Says:

    Caro copoanheiro virtual, creio que encontrei a figura à qual se referiu – tá aqui, ó: http://en.allexperts.com/e/e/el/el_lissitzky.htm .

    Aliás, excelente texto (como sempre). Diz exatamente tudo que sempre pensei acerca desse tipo de ferramenta – normalmente utilizada de forma equivocada.

    Com a devida vênia, vai lá para o Legal…

    [ ]s!

    • jarbas Says:

      Grande Adauto,

      Obrigado pelas referências elogiosas e pela divulgação do meu texto. Meus agradecimentos precisam ser muito especiais, pois os elogios vem de um ótimo autor.

      Aqui vai um outro muito obrigado. Ao escrever o texto, lembrei-em de um cartaz clássico em termos de boa comunicação. Vi-o num livro de história da arte há mais de vinte anos. Minha memória sugeriu que a obra era de Kandinsky. Mas errei feio. Como você bem indica em sua resposta, trata-se de uma obra de Lissitzky.

      Oportunamente vou registrar em post meu engano e divulgar o cartaz de Lissitzky. É uma obra que merece ser conhecida por comunicadores.

      Abraço grande,

      Jarbas

  2. Legal » Blog Archive » Como não fazer Powerpoint Says:

    […] No caso é do Jarbas, um copoanheiro virtual, que em poucas palavras transmitiu tudo que eu sempre quis dizer acerca dos Powerpoint (royalties, please, Bill…) da vida. O original tá bem aqui. […]

  3. Conceição Rosa Says:

    Oi professor

    Estava pesquisando uns links no último post de Miriam Salles sobre infográficos e de repente me lembrei deste seu texto sobre uso de imagens no Power Point. Vim aqui para sugerir: no endereço http://www.informationisbeautiful.net há exemplos de algumas poucas imagens com um tantinho de palavras e muita informação. Creio que complementa muito bem o que foi dito aqui sobre usos adequados de imagem e texto, e mesmo que não sejam em Power Point, são apresentações “enxutas” de informações.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: