Archive for 20 de janeiro de 2010

Inteligência do trabalhador

janeiro 20, 2010

Sempre que posso, divulgo a importante obra de Mike Rose, professor da UCLA. Uma das obras mais bonitas de Mike é um livro que mostra o conhecimento em ação nas situações de trabalho ou de aprendizagem de um ofício. Essa obra foi traduzida para o português: O Saber no Traballho.Vale a pena ler, não só pela importância do conteúdo, mas também pela beleza poética do texto.

Hoje vi que a rede pública de rádio dos Estados Unidos acaba de fazer um programa com Mike, numa prosa agradável sobre sua obra e vida. Para quem arranha o inglês, vale a pena ouvir o citado programa. Ele pode ser encontrado com uma clicada no destaque que segue:

Invasão de privacidade

janeiro 20, 2010

Sou fã de carteirinha do blog De Rerum Natura, um espaço português que fala de ciência com muito conhecimento. Além disso, os autores do blog escrevem bem e bonito. O De Rerum Natura publica informações e comentários sobre rumos da ciência em nosso mundo. É um espaço de prosa séria. Mas, seriedade não implica em sisudez, falta de humor. Muito pelo contrário. Por isso, de vez em quando, aquele blog referência brinca com novidades que rolam pelo mundo.

A observação jocosa mais recente do De Rerum aborda o uso de scanners em aeroportos da Europa. Num dos posts sobre o assunto, aparece a figura [autêntica] que reproduzo logo abaixo.

Taí. Antes de viagens internacionais, toda a nudez será revelada. Deve ter muito tarado se candidatando a scaneador de mulheres nas áreas de segurança dos aeroportos internacionais.

Depois de milhares de anos de história, conquistamos direitos a certa privacidade. Parece que tais direitos estão indo para o brejo. Duas razões principais se articulam para eliminar nosso direito de não ser pertubados, e para ter espaço e vida pessoal invadidos policiescamente: possibilidades tecnológicas e supostas razões de segurança. E isso não rola só em aeroportos. Rola em escolas, em shoppings, em ruas movimentadas, em lojas, em toda parte.

Outro dia li matéria que apresenta como vantagem câmaras distribuídas por toda a parte numa escola de educação infantil. Argumento dos defensores da medida: pais de alunos podem observar seus pimpolhos a todo e qualquer momento via imagens na Internet. Ao ler tal matéria, lembrei-me de observação do grande educador italiano Francesco Tonucci: crianças odeiam ser espionadas por adultos. Em outras palavras, querem um pouco de privacidade.

Fica a pergunta: será que ainda teremos algum espaço de privacidade nos próximos anos?