WebQuest: materiais de estudo

webquest

Neste Boteco já publiquei muita informação sobre WebQuests. Agora, ao retomar o modelo criado por Bernie Dodge para minhas aulas em cursos de formação de professores, resolvi apontar os posts já publicados que podem compor um painel inicial interessante para quem começa a estudar a matéria. Vamos lá.

WebQuest em Revista

  • Indica matéria publicada na revista Bons Fluídos. Tal matéria é um excelente ponto de partida para quem quer conhecer o que é WQ.

Exemplo de processo em WebQuest

  • Tece comentários sobre uma das mais importantes WebQuests já produzidas: Tuskegee Tragedy. A obra é de autoria de Tom March, pesquisador que participou intensamente de estudos sobre concepção do modelo assim que o mesmo foi criado por Dodge na San Diego State University. O post remete o leitor para uma tradução que fiz do trabalho de March. Recomendo estudo desse material, sobretudo do Processo. March cria processos muito interessantes, completos e claros. O Processo em Tuskegee Tragedy é material de estudo indispensável para novos autores de WQ’s.

013. Processo em WebQuest

  • Subsídio que apresenta uma “receita” de como organizar as propostas de investigação e estudos para os alunos no Processo. Vale observar que o Processo é a parte mais trabalhosa de uma WebQuest. Muitas vezes, os autores sugerem processos incompletos e demasiadamente genéricos. Com isso, mesmo que haja uma tarefa criativa, a obra fica falha e talvez a WQ não promova a aprendizagem pretendida.

Padrões de tarefas em WebQuests

  • Há muitos tipos de tarefas. O criador do modelo WebQuest, Bernie Dodge, estuda WQ’s produzidas por educadores do mundo todo e procura classificá-las em grupos de acordo com a natureza das tarefas que propõem. Num de seus estudos, Bernie estabelece certos padrões que podem ajudar autores a determinar com maior clareza o que estão querendo quando planejam seu trabalho. No post, indico tradução (minha e de minha filha, Tais Barato) desse material do Bernie. O estudo do material é muito recomendável, uma vez que o maior desafio na criação de WebQuests é o de encontrar tarefas autênticas, interessantes e criativas.

Tarefa em WebQuest: faz diferença?

  • Em 2008, depois de uma aula sobre tarefa em WebQuest, resolvi registrar algumas das considerações feitas na ocasião. É um texto para ser estudado junto com a indicação anterior sobre padrões.

Taxonomia de Bloom e WebQuests

  • WebQuests não são solução para todos os tipos de conhecimentos. Elas são adequadas principalmente para as três categorias de saber mais elevadas na classificação de Benjamin Bloom. Em 2002, num seminário aqui no Brasil, Bernie fez uma ótima apresentação sobre isso. Mesmo quem não teve oportunidade de ouvir o criador das WQ’s na ocasião, pode aprender muito com o roteiro que ele utilizou para apoiar sua fala. Por essa razão, traduzi o roteiro para o português. No post há breve comentário sobre o assunto e indicação de link para o ppt traduzido que publiquei no Slideshare. Material indispensável para quem quiser conhecer melhor a proposta de uso da internet criada por meu velho amigo da San Diego State University.

WebQuests de Alunos

  • Neste post, comento e indico algumas das WebQuests feitas por alunos meus da Licenciatura em 2007. É bom conhecer obras de meus estudantes. Algumas delas não alcançam níveis de excelência, mas são ótimos exemplos de trabalhos de marinheiros de primeira viagem. Vale ver algumas delas.
Anúncios

2 Respostas to “WebQuest: materiais de estudo”

  1. Michel Goulart Says:

    Oi, professor, gostaria de um banco de webquests de história para publicar no História Digital. Você pode me dar alguma sugestão de onde encontro este banco de WQ’s? Um grande abraço

    • jarbas Says:

      Oi Michel,

      Não conheço banco de WQ na àrea de História. Há coleções de WebQuest organizadas por assunto no portal do Bernie e em portais espanhóis. Acho que seria uma boa organizar tal banco, pois História é um campo de saber onde há ótimas WebQuests. Será que a gente consegue encontrar um investigador que queira e possa fazer isso? Abraço grande, Jarbas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: