Imagem e Comunicação

Confesso que chorei. Não confessaria se milhares de outros homens não houvessem confessado. Muitas e muitas pessoas mundo afora sentiram forte emoção ao verem, no Youtube, VT da performance de Susan Boyle no show de calouros Britain’s Got Talent. E por que tanta emoção, tanto choro? Tem a ver com o talento de Susan Boyle. Mas, tem muito mais a ver com as circunstâncias.

susan-boyleSusan não é nada bonita. É feia. Tem quarenta e sete anos. Quando entra no palco, a platéia manifesta desgosto. A mulher não é nada daquilo que aprendemos ser imagem própria para TV. No ar há um clima de preparação para aquelas cenas de bufoneria que às vezes pinta em programas de calouro. Gente sem chanche alguma, feia, mal vestida, desafinada  é chamada para ser humilhada e divertir o público. Susan parece ser mais um caso assim.

É entrevistada. Quando diz a idade – quarenta e sete anos – ouve-se um murmúrio de desaprovação. Vêem-se caras de repúdio na platéia. Quando revela que seu sonho é ser como Elaine Page – a rainha dos musicais no Reino Unido,  mocinhas presentes fazem cara de “coitada, será que ela não se vê no espelho”. Aí Susan começa a cantar I Dreamed a Dream, do musical Les Miserables. Na terceira ou quarta nota, a audiência explode em aplausos. Componentes do júri manifestam emoção, sensibilizados com boa música cantada por quem sabe interpretá-la. A platéia fica de pé, aplaude sem parar, grita, sorri sorrisos de prazer, de admiração.

Conheço o suficiente de TV para saber que o episódio vivido por Susan Boyle foi “produzido”. Mesmo assim, há nele muito de autenticidade. Uma tomada de movimento do pomo de adão – próprio de quem engole saliva para não chorar – de um dos jurados certamente não foi ensaiada. Também não foi ensaiada a reação a platéia. Talvez ela fosse esperada. Mas, ao que parece, superou em muito a expectativa.

O episódio foi para o Youtube. Em duas semanas, o VT original foi visto 35 milhões de vezes. Outros VT”s que reeditam o original chegaram também à casa dos milhões. No total, são cerca de cem milhões de visitas para ver Susan cantando.

Novos meios de comunicação promovem imagem. Tudo que vai para a mass media tem que ter “boa imagem”. Esse modo de ver invadiu todas as dimensões da vida. Políticos, por exemplo, estão sempre preocupados com sua imagem. Na época eleitoral imagem é tudo. A realidade não é nada. Empresas também se preocupam com imagem. E essa passou a ser mais importante que o produto. Na história da imagem, dois componentes dos mitos dos novos meios de comunicação dão as cartas: beleza e juventude.  Gente feia tem de ficar de fora. Gente velha, idem.

Dois autores precisam ser lidos aqui: Daniel Boorstin e Edgar Morin. O primeiro escreveu um livro instigante que mostra como a imagem tomou conta de tudo desde que a comunicação de massas ganhou seus contornos definitivos na primeira metade do século passado. O segundo mostra que os mitos modernos dos meios de comunicação tiram de cena o homem comum, feio, sem charme, sem apelo sexual etc.

Cheguei ao caso Susan Boyle por meio de uma artigo da Bárbara Gancia, na Folha de São Paulo de 17 de abril de 2009:  Shrek de saias. O texto pode ser visto no blog da Bárbara.

Para ver Susan Boyle no episódio famoso de Britain’s Got Talent, clique no destaque que segue [na primeira versão incorporei o VT  aqui; mas, parece que incorporações estão bloqueadas, possivelmente a pedido dos produtores de Britain’s Got Talent].

  • Comunicação e música. A beleza da música cantada por Susan emociona.  E é isso que música deve fazer, deve emocionar. Tudo mais que cerca a música é secundário. Mas emoção não é pieguismo, melodia melosa com letra idem (algo que gente menos informada costuma chamar de romantismo). Emoção tem a ver com estética, com sentir o mundo, com utilizar o corpo inteiro para se expressar, com utilizar o corpo inteiro para comunicar-se com outros que sentirão a mesma emoção.
  • Imagem e comunicação. Susan Boyle contraria a verdade estabelecida que invadiu profundamente nossos corações e mentes. Admiramos imagens. Esperamos belas imagens na comunicação. Estranhamos gente como Susan nos meios de comunicação. Possivelmente o episódio aqui narrado nada vai mudar. As regras do jogo continuarão. Ou será que há esperança? Será que beleza e juventude vão ceder lugar para caras comuns e gente madura que não tem vergonha de mostrar o rosto marcado pelo tempo? Para essas duas questões, espero que meus alunos Ética e Jornalismo forneçam algumas respostas. E, é claro, não dispenso colaborações de outros leitores que queiram comparecer.
  • Anúncios

    13 Respostas to “Imagem e Comunicação”

    1. Tarcisio Cardieri Says:

      Jarbas,
      Excelente idéia. Eu tinha visto o video e achei muito bom. A abordagem que você pretende dar é muito interessante. Sobre ética e jornalismo, sugiro você dar uma olhada (se é que ainda não viu) no site do Observatório da Imprensa (www.observatoriodaimprensa.com.br). Há coisas muito interessantes lá. Outra fonte interessante pode ser o site do TED Talks (www.ted.com/talks), embora este seja muito amplo. Mas acho que dá para garimpar coisas boas lá.

    2. antoniomorales Says:

      A apresentação, preparada ou não, emociona. E deu certo.

      Para Susan, cuja vida mudou radicalmente. Pode ser que estamos entrando em um momento em que as “exceções” começam a ser exploradas como produto pela “cultura de massas”, justamente pela sua condição de que parecem confrontar estereótipos vigentes.

      Mas a natureza da máquina é tal que transforma tudo que toca em mercadoria e mais que isso, em espetáculo rentável. A banalização que se segue é inevitável: leio que ela foi convidada para fazer um filme pornográfico – recebeu uma oferta de um milhão de dólares para protagonizar «um filme para adultos», informa o jornal New York Daily News – cantou no programa Good morning América, cuja audiência é de nada menos 5 milhões telespectadores.

      Enfim, um novo produto de massa foi descoberto. Minha sugestão é que Guy Debord(A sociedade do espetáculo) e Adorno sejam relidos.

    3. Bia Guterres Says:

      Oi, Jarbas!
      Eu fiz uma postagem sobre esse vídeo. Fiquei sensibilizada ao assist-í-lo. Mas. o estranho nessa história é que eu tenho a impressão de já ter visto essas imagens o ano passado, no youtube…
      Bem, acho que estou confusa. Mas, vou investigar. rs

    4. jarbas Says:

      Caro Tarcísio,

      Obrigado pelas indicações. Vão ajudar muito.

      Caro Tonhão,

      Você tem razão. Como ou sem produção, o episódio Susan Boyle é emocionante e mostra aspecto da mass media que não é fácil de mudar; não só objetivamente mas sobretudo em nossos modos dever o mundo.

      Cara Bia,

      Provavelmente você está enganada. Como você poderá verificar, destaquei em post o link para sua matéria sobre o caso.

      Abraço para vocês três.

    5. Michel Goulart Says:

      O caso de Susan mostra que o conceito de beleza é relativo. Um abraço

    6. Marli Fiorentin Says:

      Professor Jarbas!

      Suzan ainda tem a sorte de ter uma bela voz. Mas quantos patinhos feios perdem chances na vida porque não damos a eles oportunidades de mostrarem o cisne que tem dentro de si? Esse caso não mudará o mundo, mas tomara que seja um alerta para muitos refletirem na forma de julgar os outros e também para encorajar tantos outros a mostrarem seu valor. Abraço!

    7. Fátima Campilho Says:

      Olá,
      Análise perfeita!
      Soube do vídeo pela Suzana Gutierrez. Ela leu meu post “Orelhas de Abano” e me indicou. Também chorei.
      Abraços.

    8. Fique por dentro Escola » Blog Archive » Imagem e Comunicação « Boteco Escola Says:

      […] Muitas e muitas pessoas mundo afora sentiram forte emoção ao verem, … fique por dentro clique aqui. Fonte: […]

    9. Juliana Lima Says:

      Oi, Prof!

      Realmente a interpretação de Susan foi um espetáculo.

      Adorei todos os seus comentários.

      Beijo grande,
      Ju

    10. Ximenes Prado Says:

      Caro Jarbas,

      Você e sua belas sacadas!! É isso mesmo, estamos repletos de bom exemplos que trazem boas reflexões.
      Agora, caro Jarbas, ente nós… o que a sra Bárbara Gancia fala da Susana é inaceitável! Adjetivos baixos, pobres, carregados de preconceitos… E ela se diz jornalista… Aliás, acho que a sra. Bárbara nunca se viu no espelho…
      É a mesma sra Bárbara Gância que, ironicamente, escreveu na Folha sobre uma escola do Piauí ter sido eleita a melhor do país. Ela não se deu nem ao trabalho, fundamental de um jornalista, de saber o porque desse “fenômeno”. E é simplesnte a receitinha básica: valorização do professores (diga-se formção e financeira). Para ver o que a jornalista falou: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff1602200708.htm
      Abração,

    11. Nathália Sanches Says:

      Professor Jarbas,

      também acredito que o episódio foi pré-produzido.Colocar uma pessoa que estéticamente está “fora dos padrões” da sociedade e cuja idade já ultrapassou os 40 anos, mas que possui uma bela voz e surpreende a todos é uma ótima estratégia de marketing para atingir mais espectadores. Porém, acho também que a direção do programa não esperava a dimensão que o episódio tomou.

      Prova disso, é que Susan participou do programa “Larry King Live”, da CNN, e quando questionada se iria mudar seu visual respondeu “Por que deveria mudar?”. Dias depois, ela reaparece de cabelos tingidos e cortados, além das roupas mais modernas. Me parece que existe um interesse do programa em repaginá-la, já que no dia 23 de maio ela deverá aparecer novamente para saber se passou para a próxima fase do concurso.

      Também saiu na mídia que a vida da caloura irá virar filme e rumores dizem que Demi Moore fará Susan. Não seria mais apropriado escalar alguém de aparência semelhante a da cantora? Porém, será que o público dos cinemas gostaria de ver alguém fora dos padrões na telona?

      Acredito que Susan seja realmente uma excessão, mas não a mudança para a cultura de massa.

      Abraços.

    12. Gisele Simões Says:

      O fato da mídia sempre valorizar os mais bonitos e novos, é incontestável. Hoje em dia, as pessoas esperam ver na TVcoisas estéticamente bonitas e com um toque de novidade. O interessante foi ver a reação da platéia perante Susan. Os rostos deles revelaram espanto em ver uma mulher feia, gorda e velha com um talento tão bonito. Aqueles que mergulharam de cabeça nesse “padrão estético” que a TV implantou, parecem ter esquecido que um talento ou dom não nasce só com os “mais bonitos” ou os “mais novos”.

      Deve ser por isso que Susan foi tão vista pelo Youtube; todos não valorizam mais o talento em si, mas sim o corpo e a aparência. Ao vê-la, parece que todos meio que despertaram de um sono muito profundo. Foi meio estranho perceber essa reação. Mas foi muito gostoso ouvir Susan cantar…

      Prof. Jarbas, na aula você perguntou se esse pedrão terá um fim. Inferlizmente eu ão tenho resposta para essa pergunta……..=]]
      bjooooosss
      Gisele Simões

    13. Katia Lemos Says:

      Olá professor Jarbas,

      Não acredito que a mídia irá se modificar por causa de uma caloura, e sim, a televisão e outros meios de comunicação estão aproveitando este momento para utilizar o marketing.
      Assim que acabar o concurso, independente do ganhador, Susan será esquecida, ou se tiver mais sorte irá cantar em algum lugar.
      Percebemos que devido ao sucesso de seu vídeo, a mídia já fez questão de mudar seu visual para que os telespectadores não tenham medo de assistir programas com Susan Boyle.
      A televisão utiliza a imagem como meio de comunicação e não deixará pobres mortais como Susan ou um fulano / ciclano da esquina qualquer invadir a imagem quando quiser, e sim, apenas quando isto der ibope.
      Eu duvido muito que estes padrões de estética sejam mudados no futuro, porque ninguém quer ver pessoas feias na tv, nem mesmo na rua, não é? Este é o mundo globalizado, foi padronizado desta forma e as pessoas o seguem.

    Deixe um comentário

    Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

    Logotipo do WordPress.com

    Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

    Imagem do Twitter

    Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

    Foto do Facebook

    Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

    Foto do Google+

    Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

    Conectando a %s


    %d blogueiros gostam disto: