WebGincanas: melhorias no modelo

ESTRUTURA DE UMA WEBGINCA PADRÃO HOJE

Faz algum tempo que defini, com a colaboração do Carlos Seabra, três possibilidades de organização de uma WebGincana. Para facilitar colaboração entre autores e garantir certa unidade na produção do modelo, estabelecemos que seria conveniente trabalhar com as seguintes alternativas:

  • WebGincanas curtas, com dez questões.
  • WebGincanas longas, com vinte questões.
  • WebGincanas padrão, com quinze questões.

Além do número de questões, estabelecemos outras orientações para cada uma das três alternativas. Não vou entrar em detalhes. No momento quero abordar as WG’s padrão, sugerindo algumas inovações no modo de conceber e propor questões.

Numa WebGincana padrão é preciso criar quinze questões para desafiar os alunos a encontrarem respostas na rede mundial de computadores (Web). Tais questões devem requerer respostas curtas (nada muito além de três itens (palavras, imagens, sons ou símbolos). Mas, elas não devem se assemelhar àquelas perguntas que tanto nos atormentaram nos questionários do velhos livros didáticos, ou a provas de professores que ficam apenas no quantos são, quando foi, cite dois exemplos etc. As questões precisam desafiar os respondentes a encontrarem, às vezes de maneira interpretativa, o que importa em textos, imagens e sons disponíveis na grande rede.

Autores de WebGincanas devem ser criativos e imaginosos para que as questões propostas tenham algumas das seguintes qualidades:

  • Humor.
  • Surpresa.
  • Encantamento.

Outra coisa. As perguntas devem ser redigidas para driblarem os mecanismos de busca (Google, Yahho etc). Ou seja, precisam ser escritas de maneira a evitar que os mecanismos de busca achem a resposta automaticamente. O que se quer numa WebGincana é que os alunos leiam ou examinem a fonte de informação para nela encontrar a resposta procurada. WebGincana não é uma atividade para treinar competência no uso de mecanismos de busca. É um desafio para que as pessoas encontrem informação exercendo suas capacidades de leitura das palavras escritas ou faladas, dos sons, das imagens, dos mapas, dos gráficos.

Além das questões que requerem uso de recursos da Web, dois complementos dão ao modelo uma uma cara mais nítida de gincana: atividades e missões. As atividades são ações que devem envolver o grupo em alguma produção simples:

  • desenhar à mão,
  • colorir imagens,
  • copiar figuras num álbum eletrônico,
  • recortar figuras,
  • fotografar um objeto,
  • etc.

ou em uma apresentação

  • cantar um música,
  • declamar um poema num jogral,
  • dramatizar um pequeno texto
  • etc.

As missões são algo bem gincaneiro, propondo para o grupo busca de de objetos, de pessoas que possam  fornecer de viva voz alguma informação. Eis aqui alguns exemplos de missões:

  • Façam contato via celular com pessoa que tem sotaque de gaúcho e transfiram-na para falar com o professor ou professora.
  • Tragam até o local da WebGincana pessoa que calça quarenta e quatro ou mais.
  • Encontrem pessoa que fale sueco; gravem a voz de tal pessoa falando aquela língua escandinava; apresentem a gravação para a classe.
  • Encontrem na biblioteca o um livro de Josué Guimarães e tragam-no até a sala da WebGincana.

Relacionei alguns exemplos para dar uma idéia do que pode ser feito em missões. Espero que os autores sejam bastante criativos e inventem coisas muito mais interessantes.

Quero ressaltar um ponto importante: atividades e missões complementam resposta encontrada na Web. Não são ações independentes. Precisam estar vinculadas a um conteúdo previamente encontrado pelos alunos. Dou um exemplo. Veja o caso que segue

  • Missão. Encontrem, na biblioteca, uma outra obra do autor do romance ambientado numa cidade com nome de estrela e traga a obra até a sala da WebGincana.

Tal missão deve estar vinculada a uma questão como a que segue.

  • Questão. Encontrem nome de duas ou mais obras do escritor gaúcho que escreveu um romance que se passa numa cidade que tem nome de estrela.

O mesmo tipo de cuidado vale para as atividade. Veja aqui uma possível atividade.

  • Atividade. Ensaiem e apresentem um jogral de um poema do escritor brasileiro cujo sobrenome corresponde a um símbolo da pátria.

Essa atividade deve estar vinculada a uma questão como a que segue.

  • Questão. Ele foi um dos maiores poetas brasileiros e carregava no sobrenome um símbolo da pátria.

Numa WebGincana padrão é preciso criar três atividades e duas missões. Cabe ao autor decidir que questões merecem complemento na forma de atividade ou missão. Espero que interessados na elaboração de WebGincanas percebam que atividades e missões tem diversas finalidades. Listo aqui algumas delas.

  • Criar maior interesse e dinâmica no estudo do tema escolhido.
  • Integrar outras fontes de informação, sobretudo as ambientais, ao trabalho.
  • Ativar certas habilidades necessárias como consultar a biblioteca, apresentar-se em público, entrevistar pessoas, reparar em detalhes do ambiente em que vive.

UM CAMINHO DE MUDANÇA

Descrevi até aqui  orientações elaboradas há uns três anos. Elas surgiram com base em pressupostos que privilegiam informações escritas. De um lado pagam tributo a uma educação muito centrada em textos. De outro, são bastante congruentes com as fontes disponíveis na Web, majoritariamente textuais. Mas a rede mundial de computadores está incorporando, cada vez mais, informações imagéticas e sonoras a seu acervo. Além disso, muitas fontes de informação são interativas; o usuário pode manipulá-las de alguma forma.

A fartura de imagens e sons, assim como a possibilidades interativas de alguns sites, sugerem tratamento mais rico das questões que as orientações originais que descrevi. Acho que podemos  experimentar algumas mudanças. Sugiro inicialmente que das quinze questões de uma WebGincana padrão, seis exijam leitura/interpretação de imagens, obtenção de informação em fonte sonora e algum tipo de intereção em sites nos quais isso for possível.

Exemplifico possibilidades de questões que não exijam apenas leitura e interpretação de texto. Para tanto, vou considerar uma WebQuest hipotética sobre a Américado  Sul.

  • Questão. Em Geography Zone, há um desafio para apontar num mapa países do continente. Vocês devem jogar o jogo e obter na segunda tentativa pelo menos 80% de acertos. Para entrar no desafio Países da América do Sul, cliquem aqui.
  • Questão. Descubram o nome das moedas dos países da América do Sul que tem mais de um idioma oficial. Os dados necessários podem ser pesquisados no site Países, no qual vocês chegam com um clique aqui.
  • Questão. Vejam as fotos do Brsil feitas por Jeff, ciclista que atravessou a nossa América do de sul a norte. Selecionem e copiem uma foto do Jeff sobre o rio Madeira. Encontrem em mapa do site do próprio Jeff, trecho do rio Madeira nas proximidades de Porto Velho. Chamem o professor para mostrar o achado  de vocês na tela. Ah! Aqui está o site do Jeff.

Paro por aqui. Começarei a experimentar essas e outras mudanças com meus alunos deste ano.

Anúncios

11 Respostas to “WebGincanas: melhorias no modelo”

  1. Doralice Araújo Says:

    Gosto bastante do seu BOTECO ESCOLA, Jarbas; entro nele e vou descobrindo encantamentos nos informes, lições de boa escrita e métodos expositivos infelizmente raros em blogueiros educacionais. Receba o meu abraço e a certeza da permanente leitura.

    Doralice Araújo, professora de Redação, em Curitiba

  2. Roseane Soares Says:

    Olá, professor! Antes da aula, durante a tarde, já havia lido o seu blog e, dessa forma, visto as novidades postadas hoje.
    É muito interessante a maneira como escreve e como desperta a vontade de aprender. Se isso ocorre comigo, tenho certeza que ocorre com outras pessoas e, com meus futuros alunos, ou melhor, quero, dessa mesma maneira encantá-los.
    Com relação a censura, que comentou na aula, acho que é muito mais fácil impedir que alguém “divague” por outros assuntos (sites, etc.) que manter esse alguém interessado. Isso dá trabalho e censurar é fácil. Geralmente as pessoas escolhem a maneira mais fácil, não?!…

    Sua aula é muito agradável, professor!
    Tenha um bom final de semana.

    Rose

  3. Marcos Rogério Says:

    Eu achei muito legal, pois estimula os alunos de forma diferente e criativa em busca da construção do saber.

  4. Fêh 1APGN Says:

    A proposta da Webgincana é ótima, pois dá uma descontração na aula.
    Quando fazemos perguntas que não são encontradas diretamente no Google ou Yahoo, é divertido/complicado para quem elabora, mas para quem vai responder é muito mais que aprendizado, é fazer com que o aluno de torne explorador, para chegar a uma resposta precisa de empenho e muita procura.

    Espero que eu consiga elaborar uma Webgincana a altura!!

    BeijO~*
    Parabéns pelo blog (de novo)
    =)

  5. Juliana Cardoso/ Fernando Says:

    A webgincana mostra o lado divertido em aprender, saindo da forma tradicionalista. Nos leva a refletir. Podemos fazer o aprendiz sentir prazer no ensino, como em uma bricadeira, entretanto com regras e objtivos. Muito interessante!

    Gostei!
    Beijos,
    Juliana…..O Fernando está mandando um abraço.

  6. Carlos Seabra Says:

    Jarbas,

    Muito interessantes suas palavras, que aprofundam e ao mesmo tempo dão a clareza da simplicidade, conceituando e exemplificando estratégias de implementação de webgincanas.

    O texto deste seu post esclarece tanto que deveria fazer parte da introdução básica e esta metodologia da Webgincana – que usa tão bem a mescla do lúdico, da pesquisa, do engajamento na aprendizagem.

    Grande abraço com admiração!
    Carlos

  7. Suelen** Says:

    A cada aula temos aprendido muito sobre esta maneira de aprendizado e descobertas muito divertida e que atribui descontraçao e interaçpo dos participantes do grupo.
    Uma maneira de fazer com quer os alunos busquem e consigam entender que buscar respostas e fazer pesquisas,independente de ser uma Webgincana ou nao, é algo que nao trauz-se em Google.vai muito alem.

  8. Elaine Says:

    Professor, me apaixonei pelo modelo de ensino proposto pelas webgincanas e já estou preparando a primeira webgincana na escola em que leciono a disciplina de literatura. Palavra de escoteiro: volto aqui para questionamentos. Obrigada!

  9. jarbas Says:

    Alô Elaine,

    Aguardo suas informações sobre experimentação de WG. Se puder ajudar em algo no processo, fico à disposição. Abraço, Jarbas.

  10. jarbas Says:

    Alô Carlos Seabra,

    Acho que a idéia de WebGincana pode evoluir na medida em que formos descobrindo modos de trabalhar as muitas alternativas de uso do material armazenado na rede mundial de computadores. Custa pouco. Basta exercer nossa capacidade imaginar.

    A gente podia se encontrar dias desses, num almoço, para reativar aquele comitê informal de estudo de padrões para WG’s. Será que tem mais alguém que toparia fazer parte do comitê? Abração, Jarbas.

  11. Carlos Seabra Says:

    Oi Jarbas!

    Vamos marcar então esse almoço/bate-papo? Podemos ir assuntando também em paralelo por e-mail.

    Conte comigo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: