Archive for 14 de abril de 2008

Ética e Tecnologia Educacional

abril 14, 2008

Comecei a navegar pelos mares da tecnologia educacional (edtech) no início dos anos de 1980 quando fui aceito no mestrado de Edtech na San Diego State University. No começo fiquei preocupado, achando que a nova disciplina pedagógica era coisa para ratos de laboratório (uma idéia que ganhou concretude quando comecei a reparar que uma colega do programa, branca como um rato albino, passava dez ou mais horas diárias no lab dos Apple IIe). Para meu consolo, aprendi então que os pesquisadores da área não definiam tecnologia a partir de máquinas ou equipamentos, mas a partir das capacidades humanas de criar materiais que ajudassem as pessoas a aprender mais e melhor.

No ambiente edtech da década de oitenta, ética era um assunto que pouco aparecia em nossas discussões. Mas lembro-me de um artigo escrito por um dos ex-alunos do departamento que situava a questão ética a partir de uma experiência acontecida assim que buscou emprego como tecnólogo educacional. Ele passou num concorrido processo seletivo de uma indústria do Novo México. Empresa moderníssima. Setor de tecnologia educacional com muita grana e recursos. Mas ele desistiu do trabalho. Motivo: descobriu que a empresa fazia parte da indústria bélica americana. Razão: não pretendia colocar seus talentos de especialista em tecnologia educacional para formar pessoas no campo da fabricação de artefatos cuja finalidade última era matar gente. Numa palavra, recusou um ótimo emprego por motivos éticos.

A história com que abro este post me veio à cabeça assim que vi a nova definição de tecnologia educacional elaborada pela AECT (Association for Educational Communications and Technology). Tal definição é o objeto de um livro recente: Educational Technology – A definition with commentary:

Tecnologia educacional é o estudo e a prática ética para facilitar a aprendizagem e melhorar o desempenho pela criação, uso e administração de processos e recursos tecnológicos.

Esta é a primeira vez que a dimensão ética aparece com destaque numa definição elaborada por uma associação que congrega alguns dos mais importantes nomes da tecnologia educacional. Para oferecer minha modesta colaboração no assunto, proponho que interessados em tecnologia educacional considerem como um dos pontos de partida para a reflexão sobre o compromisso ético em educação o poema que vem a seguir:

Para refletir…*

Soren Kierkegaard**

Se quero ter êxito

ao acompanhar um ser com um fim preciso,

devo ir até onde este ser está

e começar desde lá a caminhada.

Quem não sabe fazer isto, engana a si mesmo

quando pensa que pode ajudar os outros.

Para ajudar um ser

devo certamente saber mais do que ele

mas antes devo compreender o que ele compreende.

Se não chego lá,

de nada adianta

ser mais capaz e sábio que ele.

Se desejo acima de tudo mostrar

aquilo que sei

é porque sou orgulhoso

e quero ser admirado pelo outro

não ajudá-lo.

Todo apoio começa com humildade

diante daquele que quero acompanhar

porque devo compreender

que ajudar

não é querer dominar

é querer servir.

Se não chego lá

não posso ajudar o outro.

* Poema proposto por Britt-Mari Barth, en “Le Savoir en Construction: former à une pédagogie de la compréhension”, como ponto de partida sobre a questão da construção do saber numa relação pedagógica.

** Filósofo existencialista dinamarquês, 1813-1855.

Anúncios

Teste

abril 14, 2008

Por causa da recente mudança nas ferramentas de publicação no WordPress, estou aqui testando indicação de material no Slideshare. Para o teste ficar mais bonitinho e para matar saudade de um lugar inesquecível, escolhi uma coleção de slides com fotos de Niagara Falls. Vale a pena ver. E quem puder um dia ver ao vivo, saberá por que digo que o lugar é inesquecível.