Archive for maio \29\UTC 2007

Bar do Zé chega ao fim

maio 29, 2007

Recebi informe de minha amiga Lili (Liliana Penna) dizendo que o Bar do Zé foi vendido. Chega ao fim uma aventura de 46 ou mais anos. Fará companhia ao Riviera, ao Sem Nome, ao Viena, á Leiteria Paulista e tantos outros botecos que ofereciam espaço para grandes papos, comida honesta, ceva bem gelada, cachaça às vezes boa, companhia sempre de qualidade, donos que se tornavam amigos, chapeiros artistas, etc. Sai da praça o melhor sambuba de pernil da Paulicéia. E quase certamente o misto quente mais caprichado. Quem degustou jamais esquecerá. Quem não degustou tem um menos na vida. Lili me indicou um blog que em mensagem de 28/05 notícia o péssimo acontecimento. Para quem quiser saber mais, vale a pena dar uma chegadinha no Par de Vaso.

Blogs no SlideShare

maio 23, 2007

Há muita gente blogando. E, por isso, há muita gente tentando entender o que é blogar. Interessante, não? Nem sempre é preciso ter definição conclusiva das coisas para fazê-las. Aliás, fazê-las nos qualifica melhor para defini-las. Com este espírito de fazer-saber há, no SlideShare, muitos roteiros sobre uso de blogs. Quero destacar dois deles aqui. O primeiro é obra do pessoal do Núcleo de Tecnologia Educacional de Dourados, MS. O material conversa com professores sobre o uso da tal ferramenta nos ambientes educacionais. Vale a pena dar uma olhadinha em blog como ferramente didática.
O segundo é um roteiro cujo destaque são as alternativas do blogar e não blogar. Trata-se de material apresentado recentemente no Evento Blog España. Confira o material em presentación.

Ambiente da família

maio 16, 2007

Não, não é o que você está pensando. Não vou falar de temas tradicionais de uma instituição social que anda em crise. Vou falar de algo que compromete minhas alunas do 4apgn +Fabiano. Alô, pessoal! Vocês não podem deixar de ler o que segue. E mais, espero que vocês compareçam com comentários. E é claro que espero que os demais leitores sigam em frente e entrem na dança.
Em botecos sofisticados (restaurantes 3 estrelas, ou restaurantes de bons hotéis) há uma área que se chama “família”. E que local é esse? É o local onde os funcionários da casa fazem as suas refeições. Paro com meus comentários técnicos sobre coisas de hotelaria e restauração. Parto para os finalmentes. Com este post quero abrir um espaço para comentários do Fabiano e de minhas alunas (uma conversa no ambiente família). O que espero? Espero comentários individuais de todos sobre a experiência inicial com blogs, pois já é hora de um primeiro balanço sobre o que começamos. Mais não preciso dizer. O resto fica por conta de vocês. Para os demais leitores fica a expectativa de ver os textos avaliativos da turma e, quando for o caso, comentar os comentários. Espero que este meu pedido resulte em dados precisosos para a gente ir construindo nosso saber sobre possibilidades de usos de blogs em educação.

Um adendo. Solicito de vocês um contato com a Professora Mônica (lembram-se dela?), convidando-a para uma passadinha no Boteco escola, devidamente registrada com um comentário…

Mensagem do Gerson

maio 8, 2007

Faz muito tempo que não vejo um velho companheiro dos tempos de Senac, Gerson Correia. Ele foi um dos convidados para a inauguração deste boteco. Não teve tempo de aparecer naqueles dias de maior movimento, possivelmente porque seu trabalho como consultor em RH o mantém sempre nas complicadas rotas aéreas destes Brasis. Hoje, o Gerson me mandou, via e-mail, mensagem que poderia ser uma das falas entre-escutadas por ocasião da inauguração. Como o Boteco Escola é espaço e não tempo, sempre é possível colocar a conversa no devido lugar, sem preocupações com calendário. Por isso registro a entrada do Gerson no estabelecimento copiando aqui a simpática mensagem que acaba de chegar via correio eletrônico:

Caro Jarbas,
Cheguei atrasado à festa, infelizmente, mas encontrei um excelente cronista,
ou “bloguista” (aí vai um neologismo, aproveitando que um dia já fui chamado de Guimarães Rosa da Lapa) adorei ler algumas de suas cronicas, a do ‘sem nome’ foi histórica.
Passarei sempre por lá, sucesso!!!

Encontro no Senai

maio 8, 2007

Coloco neste post uma imagem que ilustra comunicado sobre curso de pedreiro no Senai. A iniciativa tem várias intenções: homenagear um velho oficial da construção civil, meu pai; contestar a idéia muito comum nos meios educacionais de que os pedreiros são broncos e alienados; lembrar que boa parte dos saberes do trabalho são invisíveis. Leitores habituais podem achar que estou mudando a natureza deste blog. Nada disso. Continuo a trabalhar o Boteco Escola como um espaço de encontro para conversas não reguladas sobre usos de blogs na educação.

Dia 2 deste mês estive em Brasília para uma conversa no Encontro Técnico Nacional dos Gestores da Educação Profissional do Senai. Meu tema foi Educação e Trabalho. Mais particularmente, fiz uma comunicação sobre os saberes invisíveis que estão na raiz dos fazeres profissionais, matéria quase sempre ignorada pelos educadores. Para mim o evento foi um reencontro com assuntos que me ocuparam por trinta anos no Senac de São Paulo, e têm tudo a ver com minha vida inteira como filho de trabalhador da construção civil. Oportunidades como essa sempre me emocionam e gratificam. Uso este espaço para agradecer publicamente ao Senai Nacional pela gentileza do convite. No evento, conversei com educadores que representavam todas as unidades da federação (do Amapá ao Rio Grande…). Gente muito comprometida com as demandas educacionais de nossos trabalhadores. Como todos sabem, o Senai é uma entidade que se destaca por sua eficiência e cuidados na oferta de educação profissional. E uma das marcas das atividades educacionais da casa é o uso de modernas tecnologias da comunicação e informação. Por isso, aproveitei a oportunidade para solicitar aos educadores do Senai uma visitinha a este blog. Eu gostaria muito de receber comentários desses amigos que fazem uma educação para a qual devemos tirar o chapéu.

Blog antipedagógico

maio 1, 2007

Sábado passado mostrei, sem explicar origem e objetivo, o Boteco Escola para uma professora. Ao ver o nome do espaço, ela comentou: “Que nome! Isso é antipedagógico”. Fiquei contente com o comentário espontâneo, pois os blogs podem ser quase tudo, não devem, porém, ser pedagógicos. Me explico, a seguir.

Como muitos já sabem, a pedagogia nasceu na velha Grécia, como atividade de escravos que acompanhavam as criancinhas em seu caminho para a escola. Em Atenas, a grande cidade do período clássico dos gregos, o número de habitantes cresceu significativamente com o aumento expressivo do comércio e do artesananto. Com moradias muito pequenas e pouco espaço para lazer, a população pobre vivia nas ruas. E estes lugares de convivência de estrangeiros, trabalhadores e escravos, não eram seguros para os filhos da nobreza. Assim, para proteger suas crias no caminho de ida e volta à escola, os nobres atenienses utilizavam escravos de confiança (pedagogo literalmente significa condutor de criança). A pedagogia, portanto, nasceu como uma atividade protetora. A atuação dos pedagogos era justificada como uma providência contra os perigos da rua. É de se supor, porém, que as crianças pobres se educavam livremente, sem qualquer proteção, nos espaços públicos (ruas e praças da cidade de Atenas).

Relembrei a origem histórica do adjetivo pedagógico para ressaltar que o mesmo quase sempre é aplicado para designar situações nas quais as crianças (ou os aprendizes em geral) são “protegidas”. A proteção pedagógica quando é utilizada em meios e formas de comunicação geralmente anula toda a riqueza e dinâmica ali presentes. Já viram coisa mais sem sal que teatro “pedagógico”, por exemplo? Por isso tudo, minhas convicções de acerto na escolha do nome de batismo deste blog foram reforçadas quando a professora me disse que Boteco Escola não é pedagógico.


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 108 outros seguidores